A guerra dos pneus e o titulo mundial da Ducati em 2007.

372

Até 2006 havia liberdade de fornecimento de pneus e também nas quantidades. Os dois principais fornecedores que se enfrentavam tinham duas maneiras bem distintas de entender a evolução dos pneus.

A Michelin confiava no fato de que a maioria das corridas era realizada na Europa. Eles produziam um pneu para a sexta-feira ou vĂĄrios deles, os pontos fracos eram entendidos e, consequentemente, novos pneus era produzidos para sĂĄbado e domingo. Poucas equipes podiam pagar pelo apoio da Michelin.

A Bridgestone não tinha essa opção que a Michelin tinha em mãos, com isso, se viu obrigada a produzir pneus que eram utilizados em uma janela maior de tempo. Em resumo, a Michelin tinha novos compostos que funcionavam em cada final de semana diferente, enquanto a Bridgestone não tinha essa capacidade e era obrigada a fornecer os mesmos compostos por mais tempo.

O TITULO MUNDIAL DA DUCATI EM 2007

O titulo mundial da Ducati não foi conquistado apenas pelo talento de Casey Stoner, mas também por conta de uma mistura de fatores. Em 2007 os tanques de combustível das motos passaram de 22 litros para 21, os motores de 990cm3 para 800cm3. Mas acima de tudo, os pneus que seriam usados no final de semana deveriam ser declarados na quinta-feira, impedindo que novos compostos fosses fabricados para såbado e domingo, tåtica que era utilizada pela Michelin.

Se aceitaram ou não, tiveram que correr com o que tinham. A Bridgestone continuou seu trabalho enquanto a Michelin ficou totalmente deslocada. A Ducati foi campeã naquele ano com pneus Bridgestone que se encaixaram perfeitamente ao projeto. Os italianos fizeram um motor 800cm3 tão forte quanto o antigo 990cm3, fabricaram algo extremo e o talento do Stoner fez a diferença.