Assen 2018: outro momento histórico da MotoGp

728

Quando se fala sobre momento ou era, s√£o sempre ra√ßas individuais que definem uma era. Silverstone 1979 definiu o final da d√©cada de 1970, com Barry Sheene chegando perto de Kenny Roberts, um marco na conquista americana de corridas de motos de Grand Prix. Em 1983, no Anderstorp, Su√©cia, Freddie Spencer encerrou a era Roberts, vencendo o triplo campe√£o mundial com uma manobra de freio ultrajante na √ļltima volta.

Na d√©cada de 1990, a que podemos nos referir agora como a “Primeira Era de Ouro”, Hockenheim, 1991, tipifica as batalhas entre Kevin Schwantz e Wayne Rainey. As cenas selvagens em Eastern Creek e Jerez, em 1996, marcaram a rivalidade entre Mick Doohan e o homem mais pr√≥ximo de impedi-lo, Alex Crivill√©. A chegada de Valentino Rossi ao MotoGP pode ter sido espetacular, mas a vit√≥ria no Welkom na √Āfrica do Sul em 2004, sua primeira corrida na Yamaha desde que deixou a Honda ao lado do arqui-inimigo Max Biaggi, foi um divisor de √°guas em sua carreira. Esse foi o ponto em que Rossi realmente transcendeu o esporte.

Quando olhamos para o agora, que certamente ser√° chamado de “Segunda Era de Ouro”, Assen 2018, juntamente com Philip Island 2015 e 2017, ser√£o as corridas que os f√£s e especialistas apontar√£o como as corridas que definiram a era. Batalhas em massa entre v√°rios pilotos, ultrapassagens duras e pr√≥ximas em que o contato √© freq√ľente e aceito, uma mistura saud√°vel de pilotos e motos, de f√°brica e sat√©lite. Batalhas que se enfurecem quase do come√ßo ao fim, com freq√ľentes mudan√ßas de lideran√ßa e um n√ļmero quase incont√°vel de ultrapassagens.

Quem e como

Esta era tamb√©m ser√° definida pelo homem que ganhou estas corridas e, especialmente, pelo modo como as ganhou. Nas √ļltimas voltas, MM93 encontrou um pouco mais, estava disposto a assumir um pouco mais de risco, talvez tivesse um pouco mais de reserva. Foi o suficiente para obter uma lacuna, e assim escapar. Nas primeiras 23 voltas, a diferen√ßa entre o l√≠der e o segundo nunca foi mais do que um ter√ßo do segundo, e menos de um d√©cimo na maior parte do tempo. Nas √ļltimas quatro voltas da corrida, depois de assumir a lideran√ßa, MM93 abriu uma vantagem de mais de dois segundos.

A vit√≥ria pode parecer algo simples quando visto em retrospecto, mas Assen 2018 – o 70¬ļ Grande Pr√™mio a ser realizado no circuito – ficar√° na hist√≥ria como uma das maiores corridas de todos os tempos. O fato de esta corrida, juntamente com as corridas de Phillip Island de 2015 e 2017, constitu√≠rem indiscutivelmente as tr√™s melhores corridas da classe rainha na hist√≥ria, e que todas aconteceram dentro de tr√™s anos uma da outra √© uma prova irrefut√°vel de que estamos a viver uma √©poca de ouro , talvez a maior era das corridas dos Grandes Pr√™mios. Neste momento, a MotoGP √© o supra-sumo dos esportes a motor.

Os treinos livres e a qualifica√ß√£o j√° era um aviso. No final do FP3, havia cinco pilotos a sete cent√©simos de segundo. Ap√≥s a classifica√ß√£o, os dez primeiros foram separados por menos de quatro d√©cimos de segundo. Errar uma √ļnica curva pode significar a diferen√ßa entre perder o Q2 e come√ßar na primeira fila. Os torcedores estavam esfregando as m√£os de alegria com a perspectiva dessa batalha acontecer por 26 voltas.

Ainda havia razão para cautela. Observando os tempos de volta e analisando os ritmos de corrida, ficou claro que tínhamos 3 grupos distintos: MM93 o primeiro, oito ou nove pilotos que tinham o ritmo do pódio o segundo e o resto o terceiro grupos. Com MM93 largando da pole e sua corrida marcando dois ou três décimos a mais do que o resto, a corrida poderia  acabar na primeira curva.

O horizonte acena

Esse medo foi aumentado ainda mais quando MM93 mudou para o pneu traseiro macio no grid. MM93 teria sacrificado seu ritmo nas √ļltimas voltas para ter uma chance de fazer uma primeira volta mais r√°pida ? O fato de CC35, VR46 e AI29 entre outros, tamb√©m terem mudado para o pneu soft (macio), sugeriu que as condi√ß√Ķes (temperatura do ar e pista) eram suficientes para tornar o soft traseiro o melhor pneu. O fato de que as Hondas, que normalmente iam com a traseira r√≠gida (dura) e escolheram o soft (macio), e as Ducatis que tinham uma tend√™ncia a preferir a traseira macia, escolheram o duro, sugeriu que a escolha do pneu era ainda mais complicada do que o habitual.

Quando as luzes se apagaram, foi MM93 quem liderou a primeira curva, mas qualquer chance de ele se separar foi rapidamente frustrada por JL99. O piloto da Ducati F√°brica saiu como se tivesse sido disparado de um canh√£o, e levou a linha inteligente para o lado de fora do pelot√£o, vindo da d√©cima posi√ß√£o para terceiro, descendo na primeira curva, depois na segunda curva, √† direita, na cola da RC213V de MM93. Atingiu o piloto da Repsol Honda ao longo da primeira metade da pista, antes de deslizar para dentro de MM93 na curva Mandeveen e assumir a lideran√ßa. MM93 cutucou e fechou a Ramshoek e a GT Chicane, mas JL99 manteve a linha e usou a acelera√ß√£o da sua Desmosedici GP18 para manter MMarquez93 √† dist√Ęncia.

JL99 seria capaz de virar o jogo do¬†MM93 e repetir a “escapologia” que ele mostrou em Mugello e Barcelona? Uma volta e meia nos diria que a resposta para essa pergunta era n√£o.¬†MMarquez93 se aproximou de JL99 enquanto o bando avan√ßava pelo Southern Loop, segurava o g√°s aberto por Hoge Heide e depois soltava os freios para voar por baixo de JL99 at√© Ramshoek, um das curvas mais r√°pidas e assustadoras de Assen.¬†MM93 liderou mais uma vez, mas havia pouca esperan√ßa de fazer uma pausa.

Frete r√°pido

Três voltas e a forma da corrida estava tomando forma. Dez cavaleiros formaram um trem de carga na frente, o grupo iria até o francês JZarco05, JMiller43 incapaz de manter o ritmo ia perdendo terreno. Os líderes disputaram uma corrida de Moto3, apesar de terem motos muito mais rápidas e muitos anos de experiência. JL99 assumiu a liderança novamente na De Bult, VR46 passou por MM93 na GT Chicane, combate corpo a corpo eclodia toda vez que o grupo saía da nova North Loop e entrava no hairpin de Strubben, disputando a posição para a reta oposta.

Embora os tempos de volta não eram baixos, o ritmo ainda estava furioso, com os pilotos empurrando até o limite para tentar fugir, ao mesmo tempo em que precisavam se defender. A corrida quase terminou em desastre na 4ª volta, quando JL99 perdeu a frente na Meeuwenmeer. Um desavisado VR46 afundou na parte de trás da Ducati de JL99. Os dois cambalearam, mas permaneceram em pé, um testemunho das suas habilidades.

“No in√≠cio tivemos muita sorte, eu e ele, porque o JL99 fez muito na curva 12 e perdeu a frente, e eu estava com muito mais velocidade e bati nele”, explicou VR46. “Mas tivemos muita sorte porque o acertei perfeitamente, ent√£o n√£o ca√≠mos”.

“Foi um momento muito assustador, eu n√£o sabia o que tinha acontecido atr√°s de mim”, disse JL99. “N√£o sabia se algu√©m bateu na minha traseira, n√£o sabia qual era o piloto, se era MM93 ou outro piloto, depois vi que era o VR46.”

Frente para tr√°s

O problema para JL99 foi que o aperto da parte de tr√°s estava empurrando a frente, especialmente quando ele cortou a linha branca, que tem uma fra√ß√£o menor de ader√™ncia. “Tivemos muita sorte, porque ainda com a Michelin, temos um pouco mais de ader√™ncia na borda do pneu traseiro do que na frente. Aconteceu em Le Mans que eu perdi a frente, e aconteceu de novo aqui. Eu fui um pouco mais por dentro e toquei na linha branca e a frente se fechou, ent√£o, para evitar a queda, tive que reduzir a velocidade e VR46 n√£o esperava essa falta de velocidade naquele canto, e ele me acertou na parte de tr√°s da moto. Momento muito assustador, se tivesse sido um acidente com todo o grupo logo atr√°s, poderia ter sido muito muito perigoso “.

Foi um lembrete oportuno de que, tão seguro como o MotoGP tem sido feito ao longo dos anos, o maior perigo continua. Se um piloto cai na frente de outro, ou pior ainda, na frente de um bando de perseguição, há uma grande chance de terminar muito mal. O fato de a corrida estar muito mais próxima na MotoGP tem sido fantástico para o desporto e maravilhoso para os fãs, mas tornou o perigo de uma colisão muito mais elevado. No domingo, talvez graças à velocidade com que as motos viajavam, tanto VR46 quanto JL99 puderam permanecer em pé.

Perigo ou não, o incidente entre VR46 e JL99 não fez nada para diminuir o ritmo frenético na frente da corrida. Oito homens permaneceram, enquanto AEspargaro41e AIannone29 abandonaram o grupo. O grupo se dispersou e depois se reformou, dividiu-se em agrupamentos separados e juntou-se novamente. Na frente, JL99 liderou o caminho, com o primeiro VR46 a seguir, depois o companheiro de equipe AD04. MM93 recuou, depois adiantou-se, passando por VR46 e AD04, depois perdendo de novo para a Ducati. AR42 passou por CC35, com a intenção de misturá-lo na frente. Depois de cair do sexto no grid para o nono lugar, MV25 e JZ05, começaram a avançar.

Sem quarto

Embora JL99 liderasse, nenhuma ordem hierárquica poderia ser estabelecida atrás dele. AD04 passou por VR46 e MM93 e, meia volta depois, MM93 passou por AD04. MV25 passou por VR46 e VR46 novamente à frente de MV25. Às vezes, uma ultrapassagem durava uma volta ou mais, às vezes pouco mais que uma curva. A luta foi feroz, sem tempo para descansar. Um lapso de foco custaria vários lugares, correndo em largura significaria que duas ou mais motos passariam.

Sentar e esperar as √ļltimas voltas era um luxo que ningu√©m podia fazer. Na volta 12, ARins42 empurrou MM93 para o grampo de cabelo de Strubben, e MM93 tentou cortar. Ao faz√™-lo, ele bateu com o joelho e o bra√ßo contra a Suzuki de AR42, desalojando o p√© do footpeg e batendo a m√£o quase fora das barras. De alguma forma ele continuou, embora nem mesmo MM93 entendeu como. “Eu n√£o sei, at√© eu. Acabei de ver uma foto e foi uma loucura. Lembro-me de que tive contato com o AR42”, explicou o piloto da Repsol Honda. “Ele me tocou, mas no final foi meu erro, porque eu estava fora. Quando voc√™ est√° fora, voc√™ precisa entender que o piloto tem vantagem. Ent√£o eu estava l√° e tive contato e quase ca√≠ fora da moto. Foi uma loucura. ”

Desaparecer

Fadiga na corrida em um ritmo que ele n√£o podia sustentar significava que era quest√£o de tempo at√© JL99 perder contato com o grupo. “Fiquei realmente surpreso de liderar a corrida por tanto tempo, porque eu n√£o tinha ritmo”, disse ap√≥s a corrida. “Eu estava meio segundo, seis d√©cimos mais lento que MMarquez93 e os outros pilotos. Mas voc√™ sabe, eu tenho uma boa concentra√ß√£o e eu fiz um bom come√ßo, ent√£o eu superei MMarquez93 na freada, tive boa estabilidade na frenagem.”

O problema para JL99 foi o setor final, sempre o seu bicho pap√£o em Assen. Tamb√©m faz parte da pista onde a Ducati sofre mais, com mudan√ßas muito r√°pidas de dire√ß√£o que a Ducati se esfor√ßa para lidar. “Infelizmente temos esse T4 que n√£o conseguimos resolver a velocidade naquele setor durante todo o final de semana”, explicou JL99. “N√≥s n√£o perdemos tanto na primeira parte da corrida, mas quando o pneu traseiro come√ßou a cair e a energia n√£o era a mesma, porque eu precisava gastar muita energia para ser mais r√°pido que o ritmo que eu conseguia ser, eu estava perdendo muito em T4. Ent√£o, tr√™s ou quatro d√©cimos eram demais para ficar com os caras da frente, era a √ļnica raz√£o pela qual eu n√£o podia lutar at√© o fim por algo grande.”.

Com Lorenzo fora, a luta pelo pódio se resumiu a cinco pilotos, AD04, VR46, MM93, AR42 e MV25. CC35 e JZ05 estavam pertos, mas não conseguiam acompanhar os líderes. A batalha pela liderança era implacável, qualquer um saindo na frente imediatamente era forçado a se defender. A liderança trocou de mãos treze vezes no espaço de seis voltas, com cinco mudanças penas nas voltas 21 e 22. Depois de AD04 ter finalmente conseguido roubar a liderança de JL99, ele foi forçado a entregar a liderança a MV25.

Lugares comerciais

MM93 assumiu a lideran√ßa de MV25 na curva 1, durou poucas voltas at√© o piloto da Movistar Yamaha se recuperar na Ruskenhoek e na Stekkenwal praticamente dividindo a curva. Qdo os dois frearam na De Bult lado a lado na reta sinuosa antes da curva 9, a batalha foi demais, e os dois jovens espanh√≥is sa√≠ram da pista, permitindo que AD04 voltasse √† lideran√ßa com VR46 logo atr√°s. VR46 tomou o lugar de AD04 na GT Chicane, mas √† custa da sua sa√≠da da √ļltima curva, permitiu AD04 voltar.

Mas VR46 continuou na briga, no gancho de Strubben novamente os dois colados. Essa batalha permitiu que MM93 cortasse a parte de dentro do gancho e conseguisse através da melhor linha, uma melhor tração passando os dois pilotos de uma só vez na Ruskenhoek assumindo a liderança novamente.

Era hora de puxar o ritmo. MM93 começou a afastar-se de AD04 um centésimo de cada vez, abrindo um pequeno buraco no final da volta 23. Isso levou-o a cavar mais fundo, tirando mais um par de décimos do seu tempo e colocando meio segundo na Ducati. VR46 ultrapassou AD04 na GT Chicane e deu a MM93 mais um décimo. MM93 estava solto, era rápido e tinha a lacuna de que precisava. Não precisando mais defender nem a entrada nem a saída da curva, ele poderia voltar para a linha mais rápida ao redor do circuito, em vez da linha defensiva. A vitória foi sua, a quarta da temporada, uma média de 50%.

“No final, fui esperto. Estava apenas esperando”, explicou MM93 na coletiva de imprensa. “Quando eu vi L7, L6 eu digo, tudo bem, agora eu dou tudo. Vou empurrar tudo o que tenho. Vou usar todo o pneu. Eu consegui abrir uma brecha. Ent√£o, quando eu vejo +0.2, foi bom porque ent√£o eu era capaz de fazer meus planos. O problema √© que aqui quando voc√™ tenta usar suas linhas para ser r√°pido, voc√™ prepara muito o canto, abrindo brecha para ser ultrapassado, mas a pequena vantagem me permitiu n√£o se preocupar com isso e pude ir r√°pido, como fiz nos treinos livres. ”

Escolhendo sabiamente

Esses tempos por volta foram a chave para a vitória de Márquez. A corrida tinha sido lenta Рo grupo da frente estava a fazer 1m34 e a 1m35 como lutavam entre si. Os pilotos foram forçados a defender na entrada de canto, o que significava que eles estavam sacrificando a saída da curva, o que significava que eles tinham que tentar bloquear no meio da curva para evitar serem ultrapassados. O vento, que pegou no domingo, dificultou a abertura, forçando os pilotos a favorecer a precisão sobre a velocidade através do rápido setor final, tornando mais fácil para os que estão atrás.

As condi√ß√Ķes foram atenuadas ao fazer uma pausa, at√© que MM93 colocou tudo na linha. Ele fez sua volta mais r√°pida na volta 24, meio segundo mais r√°pido do que os que estavam atr√°s dele, numa batalha pelo segundo lugar rodando em 1:35s. Sua vantagem no final foi de 2,2 segundos, uma vit√≥ria muito mais confort√°vel do que se poderia esperar.

Isso foi principalmente devido √† sua pr√≥pria velocidade incompar√°vel naquele momento da corrida, mas a luta pelo p√≥dio atr√°s dele caiu no seu colo. A jogada de AD04 sobre VR46 na Curva 1 na pen√ļltima volta, tirou os dois homens da luta pela vit√≥ria e cortou a diferen√ßa para os dois pilotos que vinham atr√°s, AR42 e MV25 que acabaram ultrapassando-os e terminando no p√≥dio, com o piloto da Suzuki √† frente da Yamaha.

Liberação doce

O final da corrida foi recebido com uma liberação explosiva de tensão tanto nas arquibancadas quanto no paddock. Foi um espetáculo absolutamente estimulante e todos nos esquecemos de respirar. Simplesmente não havia tempo: as ultrapassagens aconteciam muito rápidos em alta velocidade. Era o auge das corridas, os melhores pilotos nas melhores motos que lutavam de perto, sem nenhuma preocupação por nada além de glória. Não havia tempo para ficar aterrorizado, ou emocionado, ou sentir qualquer emoção, exceto pela excitação visceral que as corridas próximas trazem. Isso foi tão real quanto parece.

As ultrapassagens podem ter sido incont√°veis, mas isso n√£o impediu que as pessoas tentassem. A lideran√ßa trocou de m√£os 17 vezes de acordo com o respeit√°vel registro do jornalista japon√™s Akira Nishimura. O internauta do twitter Nicola contou um total de 99 ultrapassagens entre o grupo l√≠der, um total de dez pilotos. A conta oficial da MotoGp listou 175 ultrapassagens contanto com o benef√≠cio de acesso a todos os √Ęngulos de c√Ęmera da pista. Mesmo esse total est√° aberto ao debate, j√° que em lugares como a Veenslang, em linha reta, e a se√ß√£o entre Stekkenwal e De Bult, os pilotos montaram dois ou tr√™s pares, suas rodas dianteiras constantemente avan√ßando uma em frente da outra. Mas da frente para tr√°s, esta foi uma corrida emocionante, sem posi√ß√£o segura por muito tempo.

Foi isso que fez de Assen 2018 uma corrida t√£o magn√≠fica, a proximidade das corridas e a frequ√™ncia da ultrapassagem. E como as outras duas grandes ra√ßas da era atual, em Phillip Island, a natureza da pista e as condi√ß√Ķes desempenharam um papel importante. Escape foi dif√≠cil, defender sua linha imperativa, a pista favorecendo a vantagem da m√°quina.

Por que t√£o bom?

Na confer√™ncia de imprensa, os pilotos do p√≥dio deram suas explica√ß√Ķes para a corrida ser t√£o apertada. “As condi√ß√Ķes da pista e do tempo, especialmente o vento”, disse MM93. “Antes da corrida, est√°vamos conversando com a equipe, e no papel eu tinha um ritmo melhor do que todo mundo. Mas eu disse a eles que seria dif√≠cil abrir uma brecha porque quando voc√™ est√° atr√°s de algu√©m nesta pista o vento foi muito forte ajudando quem vinha atr√°s. Nas curvas r√°pidas, voc√™ estava na mesma velocidade. Ent√£o foi muito dif√≠cil abrir uma brecha. O JL99 (mais lento) estava ditando o ritmo da corrida, mas para mim o principal motivo foi o vento. ”

AR42 atribuiu o espet√°culo ao personagem ‚ÄúAssen‚ÄĚ, ajudado pelas condi√ß√Ķes. “No meu caso, penso que o tipo de pista com muitos cantos r√°pidos e tamb√©m o vento foi um pouco mais alto que o resto da corrida”, afirmou o piloto da Suzuki Ecstar. “Este √© o problema para muitos pilotos na frente. Isso √© mais divertido.”

Para MV25, o layout da pista tornou mais f√°cil seguir do que conduzir, novamente exacerbado pelo vento. “Acho que √© o ponto de refer√™ncia aqui, j√° que √© uma pista muito r√°pida”, disse o piloto da Movistar Yamaha √† confer√™ncia de imprensa. “Quando voc√™ tem alguns pilotos na frente √© mais f√°cil de fazer o tempo de volta. Ent√£o, com certeza o vento forte ajuda muito, porque quando estava atr√°s era muito mais f√°cil. Assim que eu fico sozinho na frente eu come√ßo a ir em toda parte e movendo muito a moto. Claro, o vento ajuda muito a manter todo o grupo junto. ”

Conversa real

√Č tudo isso e mais. Assen, como Phillip Island, √© uma antiga pista de corrida baseada em estradas p√ļblicas, seguindo a configura√ß√£o da terra. Ele √© apresentado por natureza, n√£o no AutoCAD, seu design for√ßado pela topografia, em vez de imposto √† paisagem por um designer. A pista n√£o √© particularmente estreita, mas √© r√°pida, e quanto mais r√°pido voc√™ for, mais estreita a trilha se torna. Ter um alvo para mirar ajuda, e as curvas fluem uma para a outra, oferecendo uma chance de contra-atacar se algu√©m aparecer. O vento ajuda a manter as bicicletas juntas, √© claro, dificultando a fuga. Assen continua a ser uma pista magn√≠fica e grandes pistas produzem grandes corridas.

Mas n√£o nos esque√ßamos de dois dos fatores mais importantes que contribuem para a proximidade das corridas. Havia tr√™s fabricantes diferentes no p√≥dio e outro cruzou a linha em quarto. A eletr√īnica de especifica√ß√£o reduziu a vantagem dos principais fabricantes, tornando poss√≠vel para a Suzuki recuperar o atraso, e a Ducati ganhar e aproveitar. Os pneus Michelin trazem todas as op√ß√Ķes de corrida v√°lidas – uma condi√ß√£o do contrato com a Dorna como fornecedor oficial de pneus – e cada uma oferece benef√≠cios diferentes, permitindo estrat√©gias diferentes. Nos anos anteriores, o resultado da corrida foi incorporado √† grelha ap√≥s a qualifica√ß√£o, a eletr√īnica de f√°brica e a Bridgestones, dava a alguns pilotos uma clara vantagem. Mas n√£o mais.

Mais importante, talvez, do que a regulamenta√ß√£o t√©cnica √© a enorme profundidade de talento na grade nesse ¬†momento. MM93, VR46 e JL99 falam por si, claro. Apesar da diferen√ßa de idade, AD04 e MV25 t√™m um n√ļmero semelhante de vit√≥rias em Grandes Pr√©mios, e ambos t√™m um √ļnico campeonato na categoria de menor cilindrada.

AR42 não tem um título Рo paddock sabe que o treinador da Monlau, Emilio Alzamora, decidiu que seria Aleix Márquez, não Rins, que levaria o título de Moto3 de 2014 Рmas ele também acumulou as vitórias nas classes mais pequenas e não pode estar longe da sua primeira vitória na categoria rainha. CC35 tem vitórias no MotoGP e um título no World Supersport, JZ05 é um bicampeão de Moto2, e assim por diante.

Retrato, de, a, atleta, como, um, homem jovem

O MotoGP encontrou um talento de talento ainda inexplorado? Na verdade n√£o. O que aconteceu nos √ļltimos vinte anos √© que o esporte se tornou mais profissional, com os ciclistas mais aptos, mais focados e trabalhando mais do que nunca. Isso n√£o √© exclusivo das corridas de motos, os atletas de todos os esportes est√£o fazendo o mesmo, trabalhando em detalhes cada vez mais precisos de seu of√≠cio, aprimorando suas habilidades, melhorando sua condi√ß√£o f√≠sica, procurando ganhos marginais onde quer que possam encontr√°-los.

Tem suas desvantagens, √© claro. Criou uma gera√ß√£o de pilotos que conhecem muito pouco do mundo fora das corridas e n√£o fizeram mais nada desde os cinco ou seis anos de idade. Corrida e o trabalho necess√°rio para alcan√ßar seus objetivos no esporte √© tudo o que eles sabem. “Acho que, comparado h√° quinze anos atr√°s, o n√≠vel de profissionalismo do esporte de hj √© muito maior”, disse VR46 ap√≥s a classifica√ß√£o. “Agora, a equipe, mas especialmente o piloto, tenta trabalhar em todos os pequenos detalhes, voc√™ tenta aprender, tenta entender de canto a lado, freando freando. Quinze anos atr√°s, era mais rom√Ęntico. Ent√£o voc√™ monta sua moto. Voc√™ tem o seu sentimento, mas n√£o assim. Agora voc√™ tem que trabalhar mais. Talvez seja um pouco mais chato … Mas eu acho que essa √© uma das maiores diferen√ßas e eu acho que √© bom para o campeonato. ”

Esta nova gera√ß√£o lotou o p√≥dio em Assen. MM93 com 25 anos, AR42 22 e MV25 apenas 23 anos de idade. No entanto, entre eles, eles t√™m 97 vit√≥rias na modalidade. AR42 ainda est√° para ganhar uma corrida de MotoGP, e MV25 ainda est√° perseguindo seu primeiro t√≠tulo de MotoGP, mas esses n√£o s√£o objetivos irreais para qualquer um. A ‚ÄúSegunda Era de Ouro‚ÄĚ n√£o se resume apenas √†s motos, √© muito por causa dos pilotos.

Vencer sempre por estar l√°

Ter AR42 e MV25 no pódio foi uma dádiva para MM93, apesar de não ter tido qualquer influência entre ele e VR46 e AD04, os dois homens que ele ainda considera como seus principais rivais no campeonato. MM93 está claramente a dominar a temporada de 2018 da MotoGP e parece estar a caminho do seu sétimo título, mas os seus rivais estão a ajudá-lo tanto quanto a si próprio.

A simples aritm√©tica do campeonato est√° do seu lado. MM93 venceu metade das corridas disputadas at√© agora e terminou em segundo em duas outras, o que lhe permitiu acumular rapidamente os pontos. Mas, pelos padr√Ķes hist√≥ricos, o total de pontos depois de oito corridas est√° longe de ser impressionante. O total atual de 140 pontos de MM93 √© inferior √† vantagem de VR46 ap√≥s oito corridas em 2009, por exemplo, e menos do que a de CS27 em 2007. Mas a vantagem sobre os outros √© muito maior: MM93 lidera VR46 por 41 pts, enquanto a vantagem de VR46 em 2009 foi de apenas 9 pontos.

Não são apenas as suas vitórias que estão ajudando, mas acima de tudo, a consistência de MM93. O piloto da Repsol Honda conquistou 6 dos 24 lugares do pódio disputados até agora, ou um quarto do total. As outras quatro corridas foram ganhas por três pilotos diferentes, e os restantes 18 lugares no pódio foram partilhados entre outros nove pilotos. MM93 continua a saborear o banquete do pódio, enquanto seus rivais comem o almoço dos outros.

Roubado

Isto, talvez, explica a frustra√ß√£o de VR46 por ter sido eliminado na pen√ļltima volta por AD04. “A duas voltas do fim eu estava em uma boa posi√ß√£o, porque eu estava em segundo e acho que tenho potencial para o p√≥dio, mas AD04 tenta me ultrapassar na primeira curva. Eu ‚Äč‚Äčfui muito forte na frenagem e infelizmente ele chegou atrasado, r√°pido demais, e eu tive que sair da pista.”

Foi uma jogada dif√≠cil, mas uma das muitas disputadas por todo mundo no domingo, disse Rossi. “Para mim foi uma ultrapassagem agressiva, mas vimos muito hoje, com um m√≠nimo de 25 ultrapassagens agressivas. Mas para mim foi estrategicamente n√£o muito inteligente porque acho que ambos temos potencial para chegar ao p√≥dio, segundo e terceiro, e com isso n√≥s perdemos muito e chegamos apenas em quarto e quinto. Ent√£o √© uma pena, mas √© assim. ”

Sem respeito

Se Mm93 foi o maior vencedor da corrida na Holanda, AR42 chegou em segundo. Sua temporada at√© agora tem sido forte, mas repleta de erros caros, mas essa corrida demonstrou o potencial de AR42. Terminar em segundo, o seu melhor resultado na MotoGP, foi importante, mas mais impressionante foi o modo como o fez. AR42 era destemido e agressivo, enfiando sua bike em pequenas aberturas onde mal caberia. O movimento em MM93 no hairpin de Strubben foi o exemplo mais flagrante. “Duas ou tr√™s voltas antes, eu ultrapassei MM93 e vi que ele era muito forte naquela curva, e eu estava me sentindo √≥timo. Ent√£o pensei por que n√£o ?. Liberei os freios e o ultrapassei.”

O piloto MM93 mostrou a total falta de respeito pelo status que √© vital para um jovem e ambicioso piloto. Os pilotos em ascens√£o que sobem da moto2, geralmente s√£o um pouco hesitantes quando enfrentam os envolvidos em uma batalha no campeonato, mas AR42 como JZ05 no ano passado, n√£o est√£o tendo nada disso. Ele fez um movimento duro em AD04 na Strubben com algumas voltas para o final, depois passou por uma pequena brecha o MV25 na Ramshoek, na √ļltima volta, um movimento que exige coragem e habilidade em igual medida.

“Acho que fui agressivo como todos os pilotos”, AR42 me disse depois. “Finalmente, se voc√™ n√£o colocar a moto, o piloto atr√°s de voc√™ colocar√° a sua na sua frente. Ent√£o eu tive muitas ultrapassagens, aprendi muito e a ultrapassagem com o MM93 por exemplo foi incr√≠vel porque quando eu ultrapassei ele, eu vi que ele nas √ļltimas duas voltas antes de eu alcan√ß√°-lo, fez o mesmo, ent√£o foi perfeito “.

AR42 j√° est√° ansioso para as pr√≥ximas corridas, e avaliando sua melhor oportunidade para levar a primeira vit√≥ria indescrit√≠vel. “Sinceramente, as faixas que est√£o chegando s√£o muito boas para n√≥s e tenho uma boa motiva√ß√£o, Silverstone seria perfeito para n√≥s, talvez Motorland Aragon, Phillip Island.”

O segundo lugar de AR42 tamb√©m d√° √† Suzuki mais dois pontos de concess√£o, elevando o total para cinco at√© agora nesta temporada, um a menos do n√ļmero necess√°rio para perder seus benef√≠cios, como testes ilimitados e a possibilidade de trocar o motor durante a temporada. Mas para o chefe da equipe Suzuki, Davide Brivio, a f√°brica japonesa n√£o pode esperar para perder essas vantagens. “Espero fazer logo os pr√≥ximos pontos de concess√£o”, ele sorriu. O novo motor – um pouco mais potente, sem sacrificar a resposta do acelerador ou a gama interm√©dia – colocou a Suzuki em condi√ß√Ķes de ser competitiva. Eles est√£o em corrida para tentar ganhar, n√£o gerenciar pontos de concess√£o durante a temporada.

Encontrei algo, preciso de mais

O terceiro lugar de MV25 veio como um al√≠vio para o espanhol, finalmente se sentindo competitivo novamente. Nas √ļltimas duas corridas, MV25 e sua equipe se concentraram nas primeiras voltas da corrida, o ponto em que ele perdeu tanto terreno na primeira parte da temporada, e nunca conseguiu se recuperar, apesar de ser o piloto mais r√°pido. na segunda metade da corrida. “Eu me senti bem com o tanque cheio, at√© melhor do que nas √ļltimas voltas da corrida, porque foi dif√≠cil, preparamos a moto para as primeiras voltas. Foi bom sentir-me forte no in√≠cio, bom ultrapassar muitos pilotos, muito contacto. Acho que foram boas escolhas. Mal posso esperar para estar na pr√≥xima corrida.”

“Recuperamos muita confian√ßa , especialmente trabalhamos muito bem para a corrida, a inda assim, a moto precisa melhorar, especialmente na eletr√īnica. Foi bom estar com os caras r√°pidos hoje porque sei o ponto de melhorar. Acho que nossa moto est√° em um bom n√≠vel. Honestamente, no chassi eu acho que estamos muito bem, nas curvas r√°pidas eu me senti √≥timo Precisamos melhorar um pouco com a eletr√īnica. Estamos chegando, mas ainda h√° muito trabalho a fazer Ent√£o estou feliz que estivemos l√° mesmo que a moto ainda n√£o esteja no m√°ximo “.

Que h√° muito trabalho a fazer √© algo de um eufemismo. Esta foi a d√©cima oitava corrida consecutiva que a Yamaha n√£o conseguiu vencer, igualando a anterior maior s√©rie de derrotas entre Sepang 2002 e Welkom 2004. Com a Sachsenring a seguir, o circuito onde MM93 venceu nos √ļltimos oito anos, das 125cc para a Moto2 e para o MotoGP, as hip√≥teses da sequ√™ncia de derrotas da Yamaha se estender para 19 corridas s√£o extremamente altas.

O √ļnico positivo sobre a pr√≥xima corrida da Yamaha √© que em Sachsenring √© onde eles est√£o programados para receber algumas atualiza√ß√Ķes, finalmente. A equipe da Yamaha fala vagamente de “grandes atualiza√ß√Ķes”, sem ser particularmente espec√≠fica. Acredita-se que seja uma grande atualiza√ß√£o para a eletr√īnica, embora ainda n√£o se saiba qu√£o eficaz isso ser√°. Mesmo que tenha um desempenho t√£o bom quanto VR46 e MV25 esperam – e eles esperam -, ainda √© o Sachsenring, o playground alem√£o pessoal de MM93.

No limite

Por mais emocionante que a corrida tenha sido para os espectadores, AD04 foi menos apreciativo. Uma marca da diferen√ßa geracional entre os pilotos que surgiram nas corridas de Moto2 e Moto3, e as batalhas cuidadosamente orquestradas dos anos 125 e 250, AD04 n√£o se divertiu com a agressividade das ultrapassagens. “Acho que todo piloto gosta de ultrapassar outros pilotos e √© muito bom quando isso acontece, mas h√° sempre alguma maneira de se fazer isso. Acho que na maioria das vezes com alguns pilotos, √© muito agressivo”, disse AD04.

As ultrapassagens feitas n√£o foram contra as regras, enfatizou AD04: “Todo mundo fez tudo dentro das regras. Tudo bem, mas realmente no limite”, disse ele. “Eu acho que h√° algumas ultrapassagens quando voc√™ entra muito r√°pido no final, isso pode acontecer. Mas se voc√™ est√° fazendo isso intencionalmente, isso significa que voc√™ quer fazer isso, e isso √© ruim.”

AD04 fez algumas ultrapassagens, √© claro, apesar de ter rejeitado as cr√≠ticas feitas contra ele por VR46. “Ambos os pilotos, gostar√≠amos de sair em frente na primeira curva”, disse AD04. “Mas ele estava do lado de fora, ent√£o eu controlei o freio. Ele soltou duas vezes o freio e eu soltei duas vezes o freio e fomos um pouco largos. Mas eu n√£o fiz nada maluco, e fiquei na pista. ”

AD04 teve alguma simpatia por VR46, no entanto. “Se eu me coloco na posi√ß√£o de VR46, eu posso entender porque ele perdeu algumas posi√ß√Ķes. Mas eu n√£o fiz algo acima do limite e acho que ele tomou uma decis√£o errada. Porque quando voc√™ est√° do lado de fora, solte duas vezes o freio quando no interior h√° um dos mais dif√≠ceis freios, eu acho que √© uma m√° id√©ia no final da corrida. Isso √© o que aconteceu. Sinto muito por ele, mas esta √© a realidade. ”

Gest√£o de pneus em falta

A boa not√≠cia para a Ducati √© que, em tempo seco e em perfeitas condi√ß√Ķes, ambos os pilotos da Ducati f√°brica foram um elemento permanente na frente. Ambos os pilotos lideraram v√°rias voltas e AD04 terminou em quarto. Mas AD04 criticou a √ļltima fase da corrida, onde est√° perdendo muito desempenho do pneu. “Ainda n√£o estamos 100% felizes, porque nas √ļltimas oito voltas, eu n√£o tive mais tra√ß√£o. Essa √© a raz√£o pela qual eu n√£o poderia ficar com MM93, e eu n√£o poderia lutar pelo p√≥dio. Essa √© a ponto negativo do fim de semana. Estou feliz com a quarta posi√ß√£o, porque as √ļltimas oito voltas eu estava lutando muito, eu n√£o tinha velocidade “.

Seu resultado foi baixo para a corrida, n√£o a moto, disse AD04. “Fiz o quarto porque me coloquei na posi√ß√£o certa no momento certo, n√£o porque no final fomos r√°pidos o suficiente para estar em quarto. Estou feliz na forma como montei a moto na corrida, mas temos que tentar melhorar um pouco a maneira de gerenciar o pneu traseiro, porque a diferen√ßa do ano passado √© que, quando voc√™ perde a ader√™ncia no final da corrida, estamos completamente longe e no ano passado tivemos a possibilidade de administrar o pneu traseiro. Consumo, e ser r√°pido no final da corrida. Este ano, com este pneu √© dif√≠cil. Mas este √© o pneu, e esta √© a caracter√≠stica, e n√≥s temos que tentar adaptar o meu estilo. Mas especialmente a moto para o pneu. Porque tamb√©m no Qatar, onde ganhei, n√£o consegui fazer a diferen√ßa nas √ļltimas tr√™s voltas, isso √© a confirma√ß√£o de que o pneu √© diferente, a diferen√ßa √© muito pequena, mas quando voc√™ est√° no limite, pequenas coisas podem ser grandes coisas “.

Mr Consistente

Se MM93 lidera o campeonato devido √† sua consist√™ncia, VR46 √© o segundo na persegui√ß√£o pelo mesmo motivo, apesar de ter ficado com 41 pontos de diferen√ßa do espanhol. Na verdade, bater MM93 para o t√≠tulo parece quase imposs√≠vel, mas o veterano italiano est√° confiante em segurar o segundo lugar. “Como eu disse tamb√©m durante a pr√°tica, MM93 foi o mais forte hj, mas ele tem uma margem para ir sozinho, e no final, quando decidiu ir, chegou sozinho. √Č dif√≠cil porque ele √© mais r√°pido que n√≥s, mas tamb√©m mais r√°pido do que todos. Ent√£o, acho que para o campeonato ser√° muito dif√≠cil, mas acho que temos uma grande luta pelo segundo lugar, com outros dois ou mais, tr√™s pilotos no m√≠nimo.Temos que tentar, e tamb√©m esperamos que possamos melhorar a moto durante a temporada, para o final da temporada, mas n√£o √© muito f√°cil “.

VR46, como MV25 est√£o esperando melhorias em Sachsenring, a Movistar Yamaha M1 se deu bem em Assen gra√ßas ao seu chassi, a eletr√īnica ainda est√° abaixo dos advers√°rios. “Sinceramente, durante este fim de semana fomos competitivos, mas porque esta pista √© boa para a M1 e podemos usar algumas coisas boas da moto, alguns pontos fortes”, explicou o italiano. “Acho que tanto eu como o MV25, temos potencial para chegar ao p√≥dio. Mas √© dif√≠cil e no final da corrida eu estava mais competitivo do que na √ļltima corrida, √© verdade, mas sofremos. Na acelera√ß√£o n√£o estamos fortes o suficiente e temos que trabalhar, por isso espero que possamos melhorar a moto. A temporada ainda √© longa e este ano a moto √© muito boa de pilotar, mas na acelera√ß√£o precisamos dar um passo. ”

CC35 voltou para casa com um sexto lugar. Ter uma grande batalha com um grande grupo foi ruim para a Honda, disse o ingl√™s, j√° que a RC213V tem uma tend√™ncia a superaquecer o pneu dianteiro. “A Honda treme. Nosso pneu dianteiro superaquece demais, e eu acho que voc√™ viu hoje, estamos batendo com o Ducati no poder de forma significativa. N√£o me entenda mal, meu time fez um bom trabalho, eles prepararam uma moto que foi boa o suficiente para o p√≥dio. Mas eu nunca. Eu cometi um erro na curva oito com tr√™s voltas para o final. ”

CC35 estava mirando o p√≥dio e ficou desapontado por ter falhado, ele disse. “Ou√ßa, estou desapontado, mas estou muito contente por estar lutando com os melhores caras do mundo. N√≥s sempre dissemos que se tiv√©ssemos um resultado ruim este ano, precisaria ser o sexto. Fomos em sexto, tr√™s segundos fora a vit√≥ria comigo cometendo um grande erro. Eu tenho que come√ßar a marcar p√≥dios em breve. Nas √ļltimas corridas eu consegui, fiz um p√≥dio e fiquei perto dessa luta, mas ainda n√£o conseguimos. Tenho o prazer de derrotar JZ05, tenho o prazer de derrotar JL99, ambos estavam realmente cansados, n√£o podiam nem mudar de dire√ß√£o na moto. √Č bom ver, se eles acham que suas motos este ano s√£o dif√≠ceis de mudar de dire√ß√£o, espere at√© que eles montem o que eles v√£o no ano que vem ‚ÄĚ.

Desbloquear os segredos

JL99 estava realmente cansado, pelo esfor√ßo de empurrar a Ducati Desmosedici GP18 mais depressa do que queria ir. Mas JL99 aproveitou o que pode ser uma importante li√ß√£o de Assen. “No setor final, o T4, particularmente as Ducatis, lutam um pouco nas mudan√ßas de dire√ß√£o em alta velocidade”, disse. “Todas as Ducatis lutam um pouco no T4, mas especialmente do meu lado, eu luto ainda mais. Porque eu j√° estou lutando com meu hist√≥rico com a Yamaha. No meio da corrida, eu entendi algum segredo para tornar este setor um pouco mais r√°pido, mas eu j√° n√£o tinha tanta energia, porque eu era mais r√°pido do que eu poderia ser durante a corrida. E tamb√©m eu n√£o tinha nenhum pneu. Ent√£o, o que eu entendi fazer melhor, eu perdi do pneu e a energia. No pr√≥ximo ano, acho que vou melhorar nesse setor “.

JZ05 terminou em oitavo, um resultado muito necess√°rio depois de alguns fins de semana dif√≠ceis. Ele estava de volta lutando com o grupo da frente, observando e aprendendo o quanto podia. Ele perdeu o ritmo das nas √ļltimas oito voltas.

ABautista19 saiu da corrida em nono e em uma posição muito forte. O veterano espanhol havia trabalhado na Ducati, da equipe Angel Nieto, e passou a desafiar JZ05. Os problemas com a traseira que ele tinha no início da temporada foram banidos, ironicamente focando na  frente. AB19 está na disputa para a moto da Petronas Yamaha se Dani Pedrosa decidir se aposentar, e sua performance ascendente poderá despertar alguma chance.

Cada vez mais perto

O fato de um ex-campe√£o de 125 e v√°rios vencedores do Grand Prix terminar em nono em Assen, a apenas 7,5 segundos do vencedor, √© um sinal de qu√£o perto esta corrida estava, e qu√£o profundo √© a disputa no momento. O 88¬ļ Dutch TT em Assen – a 70¬™ vez que um Grande Pr√©mio foi realizado no circuito, ou os seus antepassados ‚Äč‚Äč- foi a corrida de MotoGP mais pr√≥xima da hist√≥ria, os tops 15 terminaram a 16 segundos do vencedor, superando o recorde anterior no Qatar este ano por 7 segundos. Assen foi a terceira corrida da temporada de 2018 para se juntar √†s dez corridas mais pr√≥ximas, juntando-se a Qatar e Mugello. As seis corridas mais pr√≥ximas da hist√≥ria – medidas pela diferen√ßa entre todos os pilotos que pontuaram (do primeiro ao d√©cimo quinto) – foram realizadas nas temporadas de 2017 e 2018, com as duas primeiras realizadas neste ano.

Se isso n√£o √© um sinal de que estamos vivendo uma Segunda Era de Ouro, ent√£o eu n√£o sei o que √©. ”

Textaço do grande jornalista David Emmett:                                                              Link:                                                                                                https://motomatters.com/analysis/2018/07/04/2018_assen_motogp_race_round_up_another.html