CNH Mudança de Regras Categoria Motos

1561

CNH Mudança de Regras, Tirar a habilitação para moto sempre soa como mais desafiador do que o processo para dirigir veículos fechados. Se pararmos para pensar, até o público é diferente: não são todas as pessoas que dirigem um carro que têm vontade de dirigir uma moto. Mas para quem gosta, a moto pode ser uma verdadeira paixão.

E por falar nisso, nos apaixonados por motos costumamos estar sempre antenados à tudo o que diz respeito a esse incrível e prático meio de transporte, provavelmente já tenha ouvido falar nas mudanças nas regras da habilitação para dirigir o veículo.

Trata-se do Projeto Lei 3245/15, do deputado Ronaldo Fonseca que foi aprovado pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados. Segundo a lei, a classificação da carteira de habilitação para dirigir motocicletas irá variar de acordo com as cilindradas do veículo.

Esse projeto na verdade se inspirou em uma lei que já funciona nos países União Europeia. Passarão a funcionar então três subcategorias dentro da classe de motoristas de motocicleta. Até então, quando você tirava a habilitação, o seu documento incluía todos os veículos de 2 ou 3 rodas.

Como nos países de primeiro mundo mas funcionaria aqui ?

Hoje, passa a ser dividido da seguinte forma: Categoria A1 (para veículos de até 300 cilindradas), A2 (para veículos de até 700 cilindradas) e A3 (válida para todas as motos, independentemente da quantidade de cilindradas). Os motoristas que desejarem se habilitar na categoria A2 deverão ter no mínimo um ano de habilitação na categoria A1 e não ter registro de infração gravíssima ou reincidência de infração grave dentro deste período.

Para se habilitar na categoria A3, o motorista deverá ter pelo menos 1 ano de habilitação na categoria A2, sendo que dentro deste período não deverá cometer infrações gravíssima ou grave e nem reincidir em infrações médias. Para cada mudança de categoria, entretanto, será necessário que o motorista frequente cursos de direção defensiva e proteção ao meio ambiente relacionada ao trânsito, dentre outros temas correlatos.

De qualquer forma, o projeto ainda precisa passar por uma fase de votação entre os deputados para ser aprovado e de fato posto em prática. Caso não haja nenhum recurso de desaprovação, o próximo passo é a votação no Senado, sendo que deverá retornar à Câmara caso sugiram alguma modificação.

Somente após passar por estas fases é que a lei é encaminhada para a sanção presidencial. E ainda assim, caberia ao Contran (Conselho Nacional de Trânsito) traçar as diretrizes para a real implantação do novo modelo.

Sendo assim, pode ser que ainda demore um bom tempo para que essas medidas sejam colocadas em prática. Isso sem contar que elas passarão a valer para todos os motoristas que forem tirar habilitação para dirigir motos a partir da sua vigência. Para aqueles que já estão habilitados ou estão em processo de habilitação, permanecem as antigas regras, não havendo prejuízos.

Portanto, se você está pensando em tirar sua habilitação para moto, ainda dá tempo de aproveitar as regras antigas, menos burocráticas; o que se tornará impossível após sanção da lei.