Como Cuidar bem da Moto e Garantir um bom preço de Revenda

4468

Adquirir uma moto é um sonho realizado para muitas pessoas. Porém, uma vez adquirida, ela não pode simplesmente ser utilizada sem receber constantemente os cuidados necessários para que permaneça em bom funcionamento. Isso porque, além de ser essencial que ela esteja sempre em bom estado (por questões, principalmente, de segurança), sua vida útil é um dos pontos mais importantes no momento de revenda. Pensando nisso, reunimos algumas dicas para que você preserve bem sua máquina de duas rodas e consiga valorizá-la ao máximo caso queira vendê-la. Confira!

1 – Atente-se ao óleo: quando o assunto é motos, o óleo é um dos itens mais importantes. Isso porque, em motocicletas com motores refrigerados a ar, ele possui duas funções diferentes: lubrificar e refrigerar o motor, que é mais exigido em motos do que em carros. Por isso, não pense, de forma alguma, em circular com o óleo vencido. Atente-se ao prazo de validade especificado pelo fabricante e verifique os níveis do líquido.

2 – Atenção à embreagem: a matemática é simples: quanto menos usada for a embreagem, mais tempo de vida ela terá. Ou seja, ao parar com a moto, não fique pressionando o mecanismo, desgastando-o à toa. Coloque o câmbio em ponto morto e aperte a alavanca novamente apenas quando for colocar o veículo em movimento.

3 – Pneus sempre cheios: já imaginou ter que jogar fora um pneu perfeitamente novo porque ele furou ou está com a carcaça comprometida? Pois é, nesse caso, a dica é não deixar os pneus murchos. Incidentes como esses podem acontecer caso a pressão dos itens esteja baixa. Bem como danos às rodas, que ficam mais vulneráveis a ficarem amassadas ou quebradas. Portanto, verifique a calibragem pelo menos uma vez por semana, para não ter que esquentar a cabeça mais tarde.

4 – Amortecedor não dura para sempre: nada dura para sempre. Muito menos as peças da sua moto, o que inclui os amortecedores. E pouco importa se as estradas nas quais você pilota são bem pavimentadas ou não, o desgaste é inevitável. Motos usadas em Curitiba, por exemplo, que possui boas vias, também podem apresentar amortecedores desgastados. Desgaste que pode, por exemplo, causar trincas e até rupturas no chassi da moto. Verifique e troque os itens (inclusive os amortecedores traseiros, em caso de motos que apresentam as ferramentas em ambas as partes).

5 – Descida livre, não: em meio há alguns proprietários de motos, há uma prática muito comum na qual se desliga o motor em descidas e se percorre longos trajetos dessa forma, sem a utilização da peça. Isso é feito para economizar combustível, porém, abrange várias desvantagens para a máquina. Isso porque, por mais que o motor esteja desligado, outros itens do veículo continuam funcionando, como a transmissão. Ou seja, as engrenagens internas estão em movimento, mas como o motor está nulo, a lubrificação dessas peças fica comprometida. Por isso, mantenha a moto ligada o tempo todo durante seu uso!

6 – Correntes em dia: a chamada transmissão secundária, composta por corrente, coroa e pinhão, também precisa de atenção constante. Ou, melhor, lubrificação constante. A vida útil desses itens pode ser muito longa caso recebam um banho de spray lubrificante adequado. Outra dica para manter a corrente em bom funcionamento é deixá-la na tensão correta (nem muito esticada, nem muito curta).

7 – Caixa de direção: a caixa de direção afrouxou? É hora de consertar. É um reparo simples e rápido, porém, se ignorado, pode causar a avaria dos rolamentos. Não o tome, portanto, como um problema pequeno e que pode ser resolvido no futuro.

8 – Rotações: outro ponto simples, mas que pode causar danos ao veículo, é andar em muito altas ou muito baixas rotações. A famosa “esticada” pode forçar o motor e sobrecarregá-lo. O mesmo vale para o caminho contrário. O que significa dizer que os extremos nunca fazem bem a sua moto.

9 – Limpeza delicada: lavar a moto com frequência a mantém bonita e livre de manchas, marcas e outras impurezas que podem danificar a lataria. Porém, tome cuidado. Máquinas que lançam jatos muito fortes de água podem causar problemas se aplicadas no motor. Isso porque o item possui retentores (que servem para ter líquidos). Porém, essa retenção acontece de dentro para fora. Por isso, quando o contrário acontece, a chance de danos é grande. A dica, nesse caso, é não utilizar tais jatos a curtas distâncias e em apenas um lugar por muito tempo.

10 – Gasolina certificada: por último, mas não menos importante, precisamos falar sobre como a gasolina correta pode fazer toda a diferença para a sua moto. Evite gasolinas batizadas, pois elas podem comprometer (aos poucos) o desempenho e o funcionamento do seu veículo. Por isso, não feche o bolso no momento de abastecer e procure por combustíveis certificados e que não farão mal a sua máquina.

Garantindo um bom preço de revenda   

Ao se atentar a esses pontos, você consegue garantir um ótimo funcionamento e desempenho para a sua moto, seja ela mais simples ou esportiva, e certifica-se de que ela terá uma longa vida útil. Dessa forma, você consegue aproveitá-la ao máximo, incluindo seus opcionais e características, que o fizeram optar por tal modelo para começo de conversa. Mais do que isso, preserva sua máquina para que, caso haja a necessidade de vender, descole um bom preço de revenda.

O mercado de motos à venda é vasto em todo o Brasil. Se destacam as máquinas que, além de completas, apresentam boa aparência, lataria cuidada, motor calibrado e outros itens essenciais em bom estado. Se a sua moto se encaixa nesse quadro, as chances de venda são grandes. Se não, é momento de correr atrás do prejuízo. Faça as revisões necessárias em sua moto e conserte o que precisa ser consertado para que consiga ter o retorno desejado.

Antes de colocar sua moto à venda, outra dica é estudar o mercado e atestar qual a faixa de preço para o modelo que você está oferecendo. Dessa forma, você consegue chegar a um valor justo e atrativo.

Empresario, pai e entusiasta do mundo das duas rodas, criou o blog Maniamoto em 2015 com a intenção te ter um espaço democrático e livre onde todos possam expor suas opiniões e trocar ideias sobre o assunto Motovelocidade.