Dakar D11 – Quintanilla (Husqvarna) reduz a distância para o líder geral Brabec (Honda).

194

Todos sabem que não é nada fácil compartilhar quarto com um amigo, mesmo que a área seja grande. Imaginem então dividir um espaço com todos os pilotos e seus pertences espalhados pelo chão? Acrescente que eles não podem contar com a ajuda de seus mecânicos para reparar os danos em suas motos, e que em alguns casos isso era importante.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 20200116_063658-1024x589.jpg

Esse foi o verdadeiro desafio experimentado pelos pilotos nesses dois dias de maratona, porque a única assistência que tiveram acesso foi a colaboração entre eles. O que não deixa de ser uma forma de socializar. Portanto, a ajuda do colega a seu lado foi mais grata do que nunca nessa noite única no deserto.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1579082291_174819_1579088327_noticia_normal-1024x576.jpg

A décima primeira etapa do Dakar partiu de Shubaytah e chegou até Haradh, cobrindo um total de 744 quilômetros, dos quais 379 foram cronometrados. A área, chamada de “quarteirão vazio”, é a mais desabitada da Arábia Saudita. E, se ontem o vento impediu que a etapa ocorresse na íntegra, hoje o clima permitiu que os pilotos terminassem o segundo dia da maratona.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 15791659987362.jpg

Acreditem que a disputa sobre duas rodas foi decidida por 9 segundos. Penso que essa foi até agora a menor diferença entre dois pilotos durante todo o rally, e o duelo foi decidido a favor do chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna). Com esse segundo triunfo, ele reduz a sua diferença para o líder da competição – Ricky Brabec – em apenas 14 m. Esse tempo será um forte estímulo para ele amanhã lutar pela vitória global do rally.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 15791637405258-887x1024.jpg

Por outo lado, o piloto da Honda, dominante absoluto na tabela geral de tempos, está jogando suas cartas com muita inteligência nos últimos dias, sem arriscar muito e administrando bem a sua posição. Hoje ele começou em segundo, depois de Barreda(Honda), o que dificultou o seu dia. Nem o espanhol nem o americano tinham opções a não ser criar o seu próprio caminho. De fato, ele fizeram isso juntos, terminando a mais de 11 minutos de Quintanilla.

Amanhã ele tentará melhorar sua posição na tabela de tempos, e, favorecido pela posição na largada, ele só terá que seguir as marcas de pneus. Em contraste, Pablo abrirá o palco, e lembro aos leitores que no ano passado, ansioso por tirar uma pequena diferença para o então líder da prova – Toby Price –, Quintanilla caiu e fraturou sua perna.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1579089481_659669_1579089559_noticia_normal-1024x576.jpg

Enfim, nesta sexta-feira ocorre a grande final, e veremos como a luta pelo Dakar sobre duas rodas será resolvida. O par da KTM – Toby Price e M. Walkner seguem discretos na tabela geral de tempos, distando do líder Brabec 22.34 e 29.53m, respectivamente. O espanhol J. Barreda (Honda) ganhou confiança e cresceu ao longo das provas (imagem acima), mas aparentemente isso não será suficiente para aspirar ao título. A sua performance no Dakar, no entanto, merece aplausos considerando que ele corre com a costela fraturada.

Tabela de tempos – Dakar D11

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1579160184_517510_1579164855_sumario_grande.jpg