Dakar D6: Brabec (Honda) vence e dispara na liderança.

251

A sexta etapa partiu de Hà´Il até Riyadh, com um total de 830 quilômetros, dos quais 477 foram cronometrados. A maior dificuldade encontrada nesta fase foram as dunas bem servidas de areia.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1578570752_605636_1578571079_noticia_normal-1024x576.jpg

“Quando você avança em um ´palco´ com muita areia, sempre perde tempo.” Toby Price sabia muito bem que, como vencedor do dia anterior, era a sua vez de abrir o caminho até Riyadh e isso tinha um preço. E, claro, ele pagou por isso.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 8888-1024x743.jpg

O custo foi traduzido em 16 minutos perdidos pelo australiano em relação ao ´sólido´ líder da categoria ´Dakar-bikes´– Ricky Brabec (Honda), que novamente demonstrou hoje porque está liderando.

Brabec saiu de uma boa posição inicial (4º lugar) permitindo que ele seguisse as marcas deixadas pelos concorrentes. Ele colocou um bom ritmo e no km 213 dos 477 cronometrados, Richy já era o mais rápido (imagem abaixo). A corrida, a mais longa até agora, terminou depois de 4,5 horas.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1578633969_795951_1578652734_noticia_normal-1024x576.jpg

No entanto, Brabec teve que esperar a chegada de outros pilotos antes de comemorar, porque atrás dele vinha outra Honda andando forte, e ameaçando a sua liderança. Era a Honda do espanhol J. Barreda, que já caiu duas vezes nesta competição, e está correndo com as costelas fraturadas. Barreda distou apenas 1.34 m do vencedor. Sem dúvida, foi o melhor dia para o espanhol na competição.

Em contraste, o argentino K. Benavides (Honda) não teve tanta sorte quanto os seus dois colegas de equipe. Com problemas em sua moto, ele parou a alguns quilômetros da chegada, quando distava apenas 25s de seu parceiro americano. Ele precisou ser rebocado para chegar ao campo.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é toby-1024x683.jpg

Algo parecido aconteceu com o vitorioso da quinta etapa – Toby Price (imagem acima). O australiano da KTM ficou parado cerca de 50 km da chegada devido a uma roda danificada. Felizmente para ele, Andrew Short, seu parceiro de marca irmã Husqvarna, ajudou-o a reparar os danos sofridos. A parada lhe custou 10 dos 16m perdidos nesta prova, e o 11º lugar na tabela de tempos de hoje. Essa parada também lhe custou o 2º lugar na classificação geral, agora ocupado por P. Quintanilla (Husqvarna), que hoje chegou em 4º lugar, distando apenas 4.55m do líder.

Com duas vitorias e uma margem de 21m para o segundo colocado, Brabec abre uma distância na tabela de tempos que começa a preocupar os outros dois candidatos ao título – Quintanilla e Price – respectivamente 2º e 3º na tabela geral.

O cenário desta primeira semana de competição para a Honda é bastante positivo, com três de seus cinco pilotos entre os cinco primeiros na tabela geral de tempos (poderia ter quatro sem o acidente de Benavides hoje).

Mas a marca japonesa sabe que a KTM não está morta, e que o seu principal piloto – Toby Price – está controlando as corridas. Falha no motor do argentino K. Benavides (Honda) foi uma perda importante para as aspirações da Honda no Dakar hoje. Importante lembrar que no ano passado Brabec praticamente perdeu a prova dois dias antes da corrida final por razão técnica.

Com a etapa de hoje o Dakar atinge a sua metade. Amanhã os pilotos terão um dia de descanso, permitindo que novas estratégias sejam traçadas para a fase decisiva do Dakar – as seis últimas etapas.

Habilidade em navegar, trabalho em equipe, confiança, e, principalmente sorte…muita sorte, são os fatores que irão definir quem será o vencedor do Dakar 2020.

Tabela de tempos Dakar D6

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1578633969_795951_1578653108_sumario_grande.jpg