Dakar D9: Quintanilla (Husqvarna) destaca-se em disputa acirrada pelo primeiro lugar.

243

“Mil caminhos desviam da meta, um só conduz a ela”
Pitágoras

“No nível de concentração, os dias são muito longos e os terrenos são desconhecidos; portanto, a atenção tem que ser maior porque a visibilidade também muda. É isso que torna essa competição muito difícil”, comentou Fernando Alonso, ex-piloto de Fórmula 1.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1578915781_295022_1578915997_noticia_normal-1024x576.jpg

A nona etapa do Dakar iniciou hoje em Wadi Al Dawasir e foi até Haradh, cobrindo um total de 886 quilômetros, dos quais 410 foram cronometrados (figura acima). Os pilotos tiveram que tirar as capas de suas motos e abrir o gás nas traiçoeiras dunas do deserto da Arábia Saudita, da mesma forma que fizeram antes do triste evento ocorrido no D7. “Ou uma vida tranquila ou uma morte feliz”, certamente eles pensaram nisso durante o trecho de 410 km do especial.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1578988007_172133_1579000086_noticia_normal-1024x576.jpg

O chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna) foi o mais rápido na prova de hoje (foto acima), em uma disputa acirrada com três outras estrelas do Rally e candidatos ao título deste ano – Toby Price (KTM), J. Barreda (Honda) e o atual líder Ricky Brabec (Honda).

Eles terminaram precisamente nessa ordem e todos, com exceção do espanhol Barreda, chegaram a liderar o ´palco´ em algum momento. O australiano Price foi o primeiro a fazer isso, depois Ricky, e, na metade do ´estágio´, Quintanilla assumiu a liderança e não mais a perdeu até a linha de chegada, fazendo o trecho final de forma espetacular, sem erros, destacando-se dos demais rivais.

Sua diferença para Toby Price foi de 2m, quase três para Barreda, e quase quatro para Brabec, enquanto os outros três distaram entre si por uma pequena margem (~ 1m).

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 15789896593563.jpg

E se Quintanilla tem todo o mérito por alcançar sua primeira vitória neste Dakar de uma maneira tão fantástica, não podemos deixar escapar a performance do espanhol J. Barreda (foto acima), que foi ao chão no início da prova e voltou à luta. Os quatro pilotos de hoje são os mesmos que lideram a tabela geral de tempos, acrescentando Cornejo (Honda) em 5º lugar, distando 29.29m do líder Brabec.

“É sempre glorioso vencer”. O americano não mostrou sinais de fraqueza até agora, e ele vence por uma ampla margem – 20 m – o 2º colocado Quintanilla (veja na tabela abaixo). O argentino Kevin Benavides (Honda), vencedor da prova anterior, foi o quinto colocado na disputa de hoje. Contudo, Benavides tem pouco chance de ganhar o Dakar 2020 porque não terminou uma das provas, parando muito próximo da linha de chegada, com problema mecânico não revelado em sua moto.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 20200105dak0150-a-s-o-dppi-f-flamand.jpg

Agora os pilotos terão pela frente dois dias decisivos antes da grande final do Rally Dakar – a maratona –, um especial de 534 km, onde os pilotos terão que cuidar bem do motor e dos pneus, porque eles não receberão assistência técnica nos preparativos entre as duas etapas.

Tabela de tempos – Dakar D9.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1578988007_172133_1579000174_sumario_grande.jpg