Ducati e Yamaha precisam parar seu inimigo em comum(Honda).

788
Ducati e Yamaha 2
Ducati e Yamaha 2

O tempo de férias terminou na MotoGP, com mês Agosto para ser um mês movimentado para os pilotos, com três Grandes Prômios em quatro semanas. Com o campeonato ainda na metade do caminho (9 corridas realizadas e 10 para acontecer), nada está escrito, embora Marc Márquez já tenha feito uma boa pontuação até o momento, Ducati e Yamaha vão conseguir parar o Formiga Atômica?

MotoGP 2018

Caberá à Ducati e Yamaha enlamear as águas do espanhol. As duas fabricantes encontram-se em duas situações diferentes mas, em certo sentido, são complementares: a montadora japonesa está mais próxima de Marquez na classificação, mas a M1 ainda tem seu limite, enquanto a casa italiana fica mais atrás, mas pode contar com uma Desmosedici competitiva…

Até agora, Rossi e Vinales fizeram bem para aproveitar ao máximo suas oportunidades e embolsar pontos importantes. Valentino marcou apenas um zero (na Argentina como resultado do contato com Marquez), enquanto Maverick é o único piloto a marcar pontos em todas as corridas. No entanto, isto não tem sido suficiente para incomodar o campeão do mundo, e o fato da moto de Iwata, ainda, não ter conseguido chegar ao degrau mais alto do pódio, demonstra isso ainda mais.

Não é que a M1 não seja competitivo (os 5 pódios do Doctor e 3 do Vinales provam que é), mas ele precisa de um “upgrade” eletrônico que tem demorado para chegar. 

A Ducati não tem estes problemas, capaz de contar com um GP18 que é (talvez) a melhor moto lá fora, depois do equipamento Honda.  Tanto Dovizioso como Lorenzo venceram com a Desmosedici e Petrucci subiu ao pódio, mas a má sorte e os erros pesaram muito na classificação.

Então, Valentino está 46 pontos atrás de Marquez e Vinales 56, Dovi tem 77 para compensar, 3 a mais que Jorge. No papel, os homens da Ducati têm o que precisam para lutar contra Marquez, mas também precisam ser mais consistentes em termos de resultados.

Absurdamente, poderíamos definir a Ducati e a Yamaha como “melhores inimigos” na luta contra Marquez . Com 250 pontos ainda a serem atribuídos, qualquer coisa ainda pode acontecer, mas cortar a vantagem de Marc não será fácil. Considere isto: o pior resultado do espanhol na Honda nesta temporada (quando ele não cometeu um erro) foi o segundo lugar. Se ele seguir em frente, seus rivais terão poucas chances de fechar a lacuna.

Fazer isso exige manter Marquez fora do pódio, algo que, juntos, a Yamaha e a Ducati podem fazer. Não estamos falando de uma aliança, é claro, mas uma conseqüência. Se a M1 fosse dar esse passo em frente e se Dovizioso e Lorenzo recuperassem essa continuidade, então o campeonato pode ser mantido vivo.

As próximas duas rodadas serão, portanto, muito reveladoras . Brno, no papel, é bom para todos, embora a edição de 2017 tenha resultado em uma Honda 1-2. O Red Bull Ring é a casa de férias da Ducati. Mas o tempo de férias acabou e chegou a hora dos pilotos voltarem ao trabalho com a faca entre os dentes.
______________________________

Çeia também: Lucio Cecchinello(LCR) e seu modo de agradar os japoneses(HONDA)

Matéria originalmente traduzida do site GPone.com