Ducati vence em Casa com Dovi e assume a Vice Liderança

484
Ducati vence em Casa com Dovi
Ducati vence em Casa com Dovi

A Ducati não poderia desejar um melhor final para o GP de Itália. A marca italiana impôs sua potência no circuito de Mugello e Andrea Divizioso deu à equipe de Borgo Panigale a vitória na sexta rodada do campeonato numa corrida emocionante.

Dovizioso chegou à liderança da corrida a 10 voltas do final, aproveitando da melhor maneira a aceleração da sua Ducati, para no final da reta ultrapassando Maverick Viñales (Yamaha) que liderava a corrida, garantindo assim o retorno às vitórias, o que não acontecia desde o GP da Malásia do ano passado.

A vitória de Dovizioso em Mugello interrompe o sucesso dos pilotos espanhóis que venceram no circuito italiano nos últimos sete anos consecutivos.

O segundo lugar foi para Maverick Viñales, líder do campeonato, depois de ter lutado com Danilo Petrucci (OCTO Pramac Racing) pelo lugar do meio do pódio já que o italiano rodou na frente de Viñales durante seis voltas, mas o espanhol foi mais forte e terminou a 1,201s do vencedor, irônico que Petrucci ganhava posição de Vinãles com sua Ducati em uma curva e perdeu a posição no final da reta para Yamaha de Viñales.

Terceiro lugar para Danilo Petrucci, que conseguiu o seu primeiro pódio em MotoGP, levando a sua Ducati ao terceiro lugar do pódio a 2,193s de Dovizioso, enquanto Valentino Rossi (Yamaha) acabou no quarto lugar a 3,685s do vencedor, depois de ter liderado a corrida na primeira volta após uma largada verdadeiramente demolidora.

Destaque para o quinto lugar de Alvaro Bautista (Pull&Bear Aspar Team) a 5,802s do vencedor, enquanto Marc Márquez (Honda), foi o melhor piloto da Honda ao termina na sexta posição a 5,885s de Dovizioso, depois de batalhar por meia corrida contra Bautista, um mau resultado para quem luta pelo título, como Márquez admitiu no final da corrida:

Quando sai do top cinco é ruim, especialmente para quem luta pelo mundial. Em Le Mans tentei mais do que o devia e acabei no chão. Aqui simplesmente dei o máximo e acabei por também arriscar. No final, para ser sexto tive de arriscar. Esperamos melhorar a pouco e pouco e estamos a 37 pontos, o que não é assim tão longe mas também não é muito perto.

Nota ainda para Jorge Lorenzo (Ducati) que depois de ter liderado a corrida logo no seu inicio, tendo realizado uma excelente largada, não foi capaz de manter o ritmo inicial acabando por afundar na classificação para terminar no oitavo lugar a 14,393s do vencedor atrás de Johann Zarco (Monster Yamaha Tech3).

Já Dani Pedrosa (Honda), que chegou a esta ronda do Mundial de MotoGP, na segunda posição do campeonato, teve um fim de semana para esquecer acabando por sofrer uma queda a duas voltas do final quando estava na 13ª posição.
Nas contas do campeonato, Maverick Viñales manteve a liderança, agora com 105 pontos, enquanto Andrea Dovizioso subiu ao segundo lugar com 79, mais quatro que Valentino Rossi que soma agora 75 pontos.

Questionado sobre quando Lorenzo chegará aos triunfos com a Ducati e o que falta para isso acontecer, o responsável afirmou: ‘Espero que em breve, honestamente. Acredito que ganhe nesta temporada. Pelo que vejo, falta um pouco de confiança. Devemos dar-lhe um pouco de controlo, algo que lhe é útil e a que está habituado‘.

Dall’Igna comentou sobre a atuação de Lorenzo e sobre o que espera do piloto para temporada
ele disse que a adaptação deve ser de ambas as partes, mas que a Ducati tem mais responsabilidade para ajudar o piloto:

É um trabalho que devemos fazer juntos, um encontro entre ambas as partes. O Jorge não é um piloto discutível porque ganhou várias corridas e campeonatos. Nós é que devemos dar-lhe mais ajuda. Ele quer ganhar e nós temos que o tornar possível. É necessário digerir a pressão que sente nestes momentos. Há que fazer as coisas com calma e metodicamente para não entrar em confusões.

 

A próxima ronda do Mundial é o Grande Prémio da Catalunha, que ocorre no circuito de Barcelona no próximo final de semana.

Terminou assim a corrida:

1 4 Andrea DOVIZIOSO
2 25 Maverick VIÑALES
3 9 Danilo PETRUCCI
4 46 Valentino ROSSI
5 19 Alvaro BAUTISTA
6 93 Marc MARQUEZ
7 5 Johann ZARCO
8 99 Jorge LORENZO
9 51 Michele PIRRO
10 29 Andrea IANNONE
11 53 Tito RABAT
12 45 Scott REDDING
13 94 Jonas FOLGER
14 8 Hector BARBERA
15 43 Jack MILLER
16 17 Karel ABRAHAM
17 50 Sylvain GUINTOLI
18 76 Loris BAZ
19 22 Sam LOWES
20 38 Bradley SMITH