Entrevista com Jorge Lorenzo – “O meu desafio mais dif√≠cil!”

419

Por 9 anos ele guiou pela Yamaha, o suficiente para pensar que nunca deveria ter saído de lá, mas então sua carreira tomou um rumo diferente. Ultimamente, felizmente ou infelizmente, Lorenzo parece não gostar das coisas com facilidade. Escolhe os caminhos mais inacessíveis, tropeça, levanta de novo, desliza, alonga o passo e, até agora, sempre chegou ao lugar mais alto.

Ele fez isso com a Ducati, conseguindo domar a fera vermelha. Ele est√° tentando com a Honda, mas as les√Ķes e os primeiros contatos com a RCV n√£o ajudaram muito, mas Lorenzo n√£o √© do tipo que joga a toalha.

Jorge Lorenzo

Lorenzo, como você definiria esse momento da sua vida?

‚ÄúEstou enfrentando um desafio dif√≠cil. Eu geralmente gosto deles, mas apenas quando finalmente consigo super√°-los‚ÄĚ, (ele ri). ‚ÄúCaso contr√°rio, torna-se dif√≠cil. √Č a vida. √Č como estar em uma montanha-russa, mas a beleza disso √© que nada dura para sempre‚ÄĚ.

Ultimamente você tem demonstrado escolher os caminhos mais difíceis.

‚ÄúIsso √© verdade, ir para a Ducati foi minha decis√£o, mas n√£o com a Honda. Houve uma s√©rie de circunstancias que possibilitaram essa oportunidade‚ÄĚ.

Os resultados demoram para chegar, você e a equipe terão paciência?

‚ÄúN√≥s conversamos e eu disse que ser√° um longo desafio porque a Honda n√£o √© uma moto que naturalmente se encaixa no meu estilo de pilotagem. Eu sofri les√Ķes. Eu perdi os testes de Sepang. Tudo isso dificultou minha chegada na Honda. √Č necess√°rio enfrentar este momento com paci√™ncia e saber que cada progresso ser√° uma vit√≥ria‚ÄĚ.

Para um campeão, o quanto é difícil aceitar que não é capaz de vencer?

‚Äú√Č dif√≠cil, mas h√° coisas piores na vida. Mais uma vez, tudo depende da perspectiva de como voc√™ v√™ as coisas. Eu sei, no entanto, que tenho muita sorte‚ÄĚ.

Jorge Lorenzo

J√° pensou em desistir?

‚ÄúNunca. Eu tenho um contrato de dois anos, e espero que os pequeno passos aumentem a motiva√ß√£o da minha equipe e minha‚ÄĚ.

Você tem um contrato até o final de 2020. Você se vê andando até os 40 anos como o Rossi?

‚ÄúDepende das motiva√ß√Ķes, das les√Ķes que ocorrem, voc√™ n√£o pode pensar a longo prazo. Aos 23 anos disse que queria parar aos 27 anos porque j√° teria passado muitos anos neste mundo. Agora eu tenho 32 anos e ainda estou aqui. Temos que pensar ano ap√≥s ano‚ÄĚ.

O que o motociclismo te deu e o que levou?

‚ÄúEle tirou um pequeno peda√ßo do meu dedo na minha m√£o‚ÄĚ, Lorenzo ri, ‚ÄúCertamente tirou momentos de divers√£o com os amigos, tempo de lazer. Eu tive que treinar e me sacrificar, mas as pessoas normais tamb√©m fazem sacrif√≠cios nos seus dias. Uma vida perfeita √© imposs√≠vel, tive muita sorte‚ÄĚ.

Olhando para trás, o que você não faria de novo?

‚ÄúEu cometi tantos erros, mas voc√™ n√£o pode mudar o passado, e voc√™ s√≥ pode aprender com o que aconteceu. √Č in√ļtil pensar sobre o que voc√™ poderia ter feito diferente‚ÄĚ.

Como você descreveria seus companheiros de equipe: Rossi, Dovizioso e Marquez?

‚ÄúValentino √© tecnicamente o mais parecido comigo, preciso e constante. Dovi √© um piloto confiante, inteligente e legal, comete poucos erros, mas, tecnicamente, temos pouco em comum. Marquez √© outra coisa. Ele √© agressivo, ele tem um jeito f√≠sico de andar. Ele √© muito r√°pido e n√£o tem medo de cair‚ÄĚ.

Qual foi o desafio mais difícil para você?

‚ÄúA Yamaha foi uma moto natural para o Rossi e para mim. Ambos tivemos uma grande ambi√ß√£o, um n√≠vel semelhante e lutamos muitas vezes um contra o outro. Contra o Andrea, quando estava com a Yamaha, fui o mais r√°pido, ao contr√°rio de quando cheguei a Ducati, ele j√° tinha uma √≥tima experi√™ncia com essa moto, mas no final consegui venc√™-lo‚ÄĚ.

Jorge Lorenzo e Marc

‚ÄúO desafio com o Marc √© o mais dif√≠cil. Certamente ele √© um dos dois ou tr√™s maiores talento da hist√≥ria do motociclismo‚ÄĚ.

Como você imagina um Lorenzo que não é mais um piloto?

‚ÄúA liberdade de vida √© muito importante. Voc√™ deve estar muito confiante antes de dar um passo importante como come√ßar uma fam√≠lia ou ter um filho. Certamente √© mais complicado do que assinar contrato com uma nova equipe(ele riu). Uma vez que meus dias de piloto acabem, eu gostaria de aproveitar as coisas que nunca fiz antes, como viajar pelo mundo, conhecer os melhores restaurantes, hot√©is e praias‚ÄĚ.

GPone.com

Leia também: Troca de farpas na Aprilia movimenta os bastidores do MotoGP.