Fan 160 Honda – Minha experiência com a moto.

204
FAN 160 HONDA
FAN 160 HONDA

Sou o proprietário de uma Fan 160, moto essa que adquiri em dezembro de 2019 e através dessa matéria vou tentar repassar aos leitores um pouco do que vem sendo minha experiência de uso com ela.  Isso será um relato de uso, se está aqui atrás de uma matéria rica em dados técnicos e blá blá blá, está no lugar errado.

Tenho uma certa experiência com motos de baixa cilindrada, principalmente as motos da Honda, é uma lista um pouco extensa mas breve: CG 150 carburada e injeção, CG 125, Bros 150 carburada, Bros 150 injetada, Bros 160, Pop 110i e por fim a Fan 160 2020.

O conforto da Fan 160 – O que é isso?

Assim que adquiri a moto eu estava morando em outra cidade por conta do trabalho, a viagem entre essa cidade e a minha cidade natal ficava em torno de 130 kms(ida e volta). No asfalto a moto é uma delícia e as viagens eram bem tranquilas, eu tenho 1,80 de altura e a moto proporcionava uma boa posição de pilotagem, em média as viagens duravam cerca de 40 a 50 minutos, porém uma viagem mais longa deverá acabar totalmente com essa boa impressão que tenho dela, se uma viagem longa já é difícil com motos melhores, então imaginem só com uma moto mais simples(risos).

No asfalto lisinho até um carrinho de rolimã é ótimo para guiar, o grande porém de toda a linha CG da Honda é a suspensão, tanto a dianteira quanto a traseira. Andar no calçamento, ruas esburacadas e deformadas é uma grande guerra para quem prioriza conforto. Dói na alma quando você cai em um buraco, você jura que metade da moto ficou para trás por conta do barulho. A suspensão dianteira até tenta fazer seu trabalho mas você sente nos punhos o impacto dos buracos, queria falar algo bom da suspensão traseira mas aquilo deve ter sido projetado para carregar peso porque não há qualquer resquício de conforto, acredito que o pneu amortece mais que a própria suspensão.

Revisão de 1000 kms

Óleo Castrol 10W30 recomendado para os motores 160 - Fan 160

Como havia falando anteriormente a moto foi adquirida em dezembro de 2019, já em janeiro de 2020 fiz a revisão de 1000 kms, foi tranquila porque a primeira revisão é grátis(mão de obra), o susto ficou no preço do tal Óleo genuíno Honda onde tive que pagar 32 reais. Tenho uma informação para passar a respeito desse óleo, desde que tinha pego a moto achava que seu motor funcionava de forma áspera mas acreditava que era “assim mesmo” já que era minha segunda experiência com esse novo motor 160 da Honda. Numa troca decorrente abri mão do óleo genuíno Honda(10W30) e optei pelo Castrol 10W30 Actevo, eu juro, juro mesmo que o funcionamento do motor mudou da água para o vinho, toda aquela aspereza que eu sentia nele sumiu. Não digo que o óleo genuíno Honda é ruim mas o fato é que não usarei mais ele.

Uma experiência ruim que tive na revisão de 1000 kms é que tentaram empurrar um pastilhamento de válvulas, o serviço com a troca de retentores ficaria por 80 reais, neguei imediatamente porque uma moto com uma quilometragem tão baixa não necessitaria de um serviço assim, e se necessitasse é porque o produto não presta. Nada de anormal no meio, a “empurroterapia” pega muita gente desorientada.

O funcionamento desse motor 160cm3, e também do novo 190cm3, tem como característica um pouco de barulho das válvulas, é normal então não pense que está desregulado ou algo do tipo. Planejo fazer o pastilhamento das válvulas de 10 em 10 mil kms.

Aventuras

Fan 160 Honda

Em uma bela de uma descida consegui a façanha de alcançar os 133km/h, acredito que a moto possa chegar na casa dos 140 mas fica perceptível o quanto o escapamento original com abafador e catalisador mata o motorzinho em altas rotações. Trocando o escape e colocando uma coroa menor(com um dente a menos) deverá passar dos 140. Mas não almejo isso, no máximo irei trocar o escapamento. Acreditem! A Fan 160 não dá nenhuma confiança em altas velocidades, se quiser andar tranquilo nela não passe de 100km/h, além disso você sentira toda a vibração do motor monocilíndrico nas mãos.

Vez ou outra brinco com ela nas estradinhas vicinais, é incrível como a roda traseira desliza e abre em frenagens mais fortes, acredito que essa tendência deva ser por conta do entre-eixos curto. Por conta da suspensão dura e firme sinto que ela é bem fácil de dar “grau”(levantar a roda dianteira), nunca tive interesse em praticar isso mas tenho planos de comprar uma moto velha para fazer isso, na minha atual nem pensar(ainda estou pagando kkkk).

Eu recomendaria a Fan 160 ou alguma moto da linha CG para um amigo?

Para mim o grande contra dessa moto é a suspensão, ficou bem claro nisso com as minhas críticas, mas deixo bem claro que é apenas minha opinião e talvez há ou haverá alguém que goste ou venha gostar. Nesses poucos mais de 6 meses com a Fan nunca tive uma única dor de cabeça, apenas troco o óleo, lubrifico a corrente e abasteço. A Fan 160 cumpre muito bem com sua missão de ser uma moto de baixo custo, em média o consumo dela fica na casa de 40 quilômetros por litro de gasolina.

Eu compraria outra moto da linha CG? Nunca diga nunca porque a gente não sabe o dia de amanha, mas na próxima vou optar por pagar um pouco mais para ter uma Bros que é uma moto que já tive uma ótima experiência, existe um abismo de conforto e versatilidade entre a Bros e toda a linha CG da Honda.

Sigam-me no instagram: @Hagaefi7
Matérias que já postei no Maniamoto