Jarvis (Yamaha): “Márquez fez uma temporada incrível”.

147

“Temos a melhor moto que a Ducati pode nos dar, mas estamos lutando com Marc Márquez, o piloto mais forte da história”
Danilo Petrucci

O Campeonato Mundial de Motociclismo acontece esta semana em Buriram, no leste da Tailândia, onde o catalão Marc Márquez (Honda) terá a primeira chance de ser coroado novamente campeão mundial de MotoGP. Com 98 pontos à frente do italiano Andrea Dovizioso (Ducati), ele renovará seu título, o sexto da categoria ‘rainha’ em sete anos, se vencer a corrida ou simplesmente ficar à frente do vice-campeão italiano, que só pode atrasar-se até o GP do Japão.

A superioridade demonstrada por Márquez nesta temporada deixou todos os rivais boquiabertos porque, dos 14 grandes prêmios disputados até agora, ele venceu oito, terminou em segundo em cinco e só cometeu um erro ao cair em Austin (Texas, EUA), um de seus circuitos favoritos, quando ele já havia escapado na corrida. Por isso, recentemente, na inauguração do novo museu da Yamaha em Amsterdã, o britânico Lin Jarvis, chefe da equipe dos diapasões, disse que “para ser completamente sincero, o único piloto que agora tem chance de ganhar o título é Marc Márquez”.

Elogios a Marc Márquez

Jarvis reconheceu que você precisa ver o que ele faz em cada grande prêmio para garantir que o catalão seja incomparável. “Você deve ter em mente que o momento atual de MotoGP é muito alto, tanto em equipes como em pilotos de alto nível, verdadeiros campeões com muitas motos oficiais muito competitivas, por isso Marquez está realizando uma temporada incrível. Sempre foi o primeiro e / ou o segundo, exceto pelo seu erro nos Estados Unidos.

Todos assumem que Márquez, que já ganhou o primeiro GP da Tailândia realizado no ano passado em Buriram, não perderá esta primeira chance de conquistar o título, apesar de os chefes da Honda verem com bons olhos que a grande festa – a renovação do título – possa ocorrer daqui a três semanas, em Motegi, o circuito de propriedade da Honda, no Japão. Contudo, Marc prefere encurtar o caminho: “Vou tentar liquidar isso o mais rápido possível e, no momento, não penso em outra coisa senão vencer na Tailândia”, realça o espanhol.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 60924509_10156020617990836_5611822896226762752_n.jpg

A superioridade do catalão que, desde sua entrada no MotoGP em 2013, quebrou todos os recordes de precocidade ao se tornar o mais jovem campeão da história, fez com que mais de um rival o considerasse hoje invencível ao longo de 19 grandes prêmios. “A Ducati”, disse Danilo Petrucci há dez dias, “construiu a melhor moto possível, esta é a melhor moto que pode ser feita e, apesar de tudo, eles continuarão trabalhando duro para melhorá-la. Mas uma coisa é muito clara: estamos lutando contra o piloto mais forte da história, que também tem uma ótima moto.”

Todos muito distante, no geral

Com o seu trabalho vigoroso, estado emocional estável, decisões sábias e uma determinação maciça para vencer – acima dos outros pilotos — Marc está em contínua metamorfose, a ponto de levar o novato Joan Mir – piloto de fábrica da Suzuki – a pronunciar após o primeiro treino do GP de Aragão, quando o espanhol superou a todos por mais de um segundo e meio. “Exceto Marquez, estamos todos na merda”. Mir descobriu, a duras penas, que não é fácil regular o passo do campeão.

‘Dovi’, vice-campeão mundial duas vezes nos últimos dois anos, está a quase 100 pontos de Márquez (ou seja — quatro vitórias), e Àlex Rins (Suzuki), que é o terceiro na classificação geral, está a 144 (quase seis vitórias de diferença) e não nos esqueçamos do “velho” campeão – Valentino Rossi (Yamaha), que está desde a Holanda-2017 sem vencer, distando 163 pontos do futuro campeão.

O que Márquez precisa fazer para conquistar o título na Tailândia?

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 71651949_2768108316532934_5095992380469805056_n.jpg

O piloto da Repsol Honda se tornará campeão se estiver a frente de Andrea Dovizioso por 100 pontos, após o Grande Prêmio da Tailândia em Buriram.

Embora Dovizioso ainda possa empatar teoricamente com Marquez por pontos, Marquez venceria o campeonato em caso de empate, já que atualmente tem 8 vitórias nesta temporada, e Dovizioso só tem 2 vitórias com 5 corridas restantes, incluindo a Tailândia.

Marquez precisa fazer duas coisas para garantir o título na Tailândia. Primeiro, ele precisa terminar à frente de Dovizioso. E segundo, ele precisa marcar dois pontos a mais que Dovizioso.

Se Marquez terminar entre os quatro primeiros, e à frente de Dovizioso, ele se tornará campeão.Se Marquez termina entre o quinto e o décimo quarto, ele precisa terminar duas posições à frente de Dovizioso para se tornar campeão.

Se Marquez terminar em décimo quinto (1 ponto) ou menos, não importa onde Dovizioso termine, ele não terá pontos suficientes para conquistar o título na Tailândia.

A maioria desses cenários é totalmente hipotética como todos nós já sabemos. Parece improvável que Márquez termine fora do pódio, e se ele subir na tribuna, então só precisará garantir que esteja à frente de Dovizioso.

No ano passado, Marquez venceu a corrida à frente de Dovizioso, por uma margem de apenas 0,115 em uma emocionante batalha. A chance de essa  batalha se repetir  são boas. Enfim, Marc, com o seu abundante manancial de vitorias, conquistadas com sabedoria misturada a um grão de loucura, a todos beneficia…