KTM Tech 3 em Mugello

349

“Terminar tão perto do vencedor foi definitivamente um grande impulso para todos os envolvidos neste programa”, Herve Poncharal, Tech3 KTM.

A equipe Red Bull KTM Tech3 segue para o MotoGP deste fim de semana em Mugello devido ao primeiro resultado onde todos os pilotos pontuaram.

Hafizh Syahrin e Miguel Oliveira foram classificados em 14º e 15º em França, enquanto o “resultado incrível” do piloto da fábrica Pol Espargaró , proporcionou mais um “grande impulso” antes deste fim de semana.

Usando um novo motor e braço oscilante de fibra de carbono, Espargaró subiu para o sexto lugar em Le Mans, apenas 5,9s atrás do vencedor Marc Marquez, que é o mais próximo que um RC16 já esteve do topo.

“Mugello é um lugar especial, o circuito é lindo e a paisagem da Toscana é uma área única no mundo e nós gostamos de estar lá, correndo lá”, disse o gerente da equipe Tech3, Herve Poncharal.

“Lá também não podemos esquecer o que Pol Espargaró e a KTM RC16 alcançaram no Grande Prêmio da França, que foi um resultado incrível para todos nós e uma grande motivação, que está mostrando toda a equipe e principalmente os pilotos que a KTM pode fazer e o quanto a KTM está trabalhando.

“Claramente, Pol estava tendo alguma evolução no departamento de chassis e também no departamento de motores. Essas evoluções foram obviamente um passo. A corrida que ele fez foi incrível e terminar tão perto do vencedor foi definitivamente um grande impulso para todos os envolvidos neste programa.”

Todos os quatro KTMs marcaram pontos pela primeira vez na França, Syahrin reduzindo a pressão crescente em seus ombros com um top 15 como piloto da KTM.

Mas enquanto o novato Oliveira (oito pontos até agora) já foi confirmado como permanecendo na Tech3 para 2020, o assento de Syahrin (ao lado de pilotos da Ducati como Jack Miller e Danilo Petrucci) ainda não foi decidido.

“Este é um momento muito importante do campeonato; corridas acontecem a cada duas semanas. Sabemos que este é o momento em que você tem que marcar pontos para se posicionar de maneira boa no ranking”, disse Poncharal.

“Nós também sabemos que os poucos assentos disponíveis estão atraindo muito interesse e os pilotos, que têm esses assentos, estão sob muita pressão, então este é claramente um momento chave da temporada e nós esperamos estar lá, onde as pessoas estão nos esperando.

“Gostaríamos de estar, é claro e como sempre, mais próximos da frente. Gostaríamos também de tentar estar mais perto de Pol Espargaró e continuar trabalhando”.

“Penso que o fato de a KTM ter quatro motos e quatro pilotos diferentes na classe de MotoGP este ano, com diferentes estilos de condução, ajudou o desenvolvimento a acelerar e ajudou a testar diferentes e novas direções, talvez para sermos mais extremos no como estamos usando o cenário e a moto. ”

Syahrin, que terminou em Mugello no satélite Yamaha da Tech3 na última temporada, quer pelo menos igualar o resultado de Le Mans.

“Estou realmente ansioso por Mugello depois de um fim de semana verdadeiramente bom em Le Mans, o que me deu ainda mais motivação e me fez acreditar mais em mim e em minha equipe, porque continuamos trabalhando muito e como uma unidade”, disse Hafizh Syahrin.

“Nós sabemos que precisamos melhorar as coisas pequenas, o que pode nos ajudar a lutar por melhores posições nas próximas corridas. Mal posso esperar para chegar na Itália. Eu sei, isso vai ser difícil, mas estamos curiosos para descobrir o que está acontecendo lá”.

“Espero ter um sentimento melhor diretamente da FP1, o que deve me aproximar um passo do resto do campo e deve me ajudar a entender melhor a situação geral. Eu gostaria que pudéssemos marcar pelo menos o mesmo resultado que em a última rodada e com certeza vamos tentar melhorar ainda mais. ”

Miguel Oliveira, empatado em pontos com o também estreante Joan Mir (Suzuki Ecstar) , apenas um atrás de Francesco Bagnaia (Pramac Ducati) e 17 de Fabio Quartararo (Petronas Yamaha SRT), foi vencedor em Mugello, tanto Moto3 (2015) e Moto2 (2018).

“Mugello é uma pista muito especial para mim, porque foi onde consegui a minha primeira vitória”, disse o português, que perdeu para o Syahrin em Le Mans devido a uma penalização de 1,5 pontos na corrida.

“O layout é bastante fantástico e desafiador e, ao mesmo tempo, sinto-me motivado a continuar e descobrir esta pista na minha moto”.

“Acho que vai ser um daqueles fins de semana em que temos que trabalhar duro para melhorar a sensação de voltar da França e tentar lutar pelo nosso objetivo, que é novamente terminar dentro dos pontos. Então, eu definitivamente estou ansioso para ir para a Itália e começar este fantástico Grande Prêmio”.