Márquez conquista pole inédita em Motegi à frente dos pilotos da Petronas.

214

Marc Márquez nunca fez a pole em Motegi, e neste seu ano de ouro ele conseguiu alcançá-la. Ele a obteve com sofrimento, que resultou em grande felicidade na casa da Honda.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 15714675752453.jpg

“Foi um dia complicado, especialmente no FP4, não foi fácil entender as condições. No Q2, no entanto, a pista estava completamente seca e eu consegui conquistar a pole. Estou feliz porque é a minha primeira nesta pista e a 90ª da minha carreira. Mas amanhã será uma corrida complicada: definitivamente não estou em condições de escapar.”

Surpresa relativa com Morbidelli em segundo: “Será muito difícil vencer Quartararo”.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é morbidelli-2019-motegi.jpg

A grande diferença em Motegi é que Franco Morbidelli está à frente de seu companheiro de equipe e não atrás dele, como aconteceu na Espanha ou como aconteceu tantas vezes este ano. Uma grande mudança?

“Acho que derrotar Fabio no circuito seco é uma das coisas mais difíceis do mundo … estou muito feliz por ter conseguido. Ele representa um grande estímulo para mim”, comentou Franco após o término do Q2.

Continuou ele – “trabalho para me aperfeiçoar em todos os aspectos. Mas, acima de tudo, há um pensamento que me dá uma ótima mão”. E qual seria? “O pensamento de que na vida há coisas muito piores do que ser espancado por um companheiro de equipe”.

Quartaro ficou em terceiro: “Começando bem, Márquez não foge”.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é quartararo-2019.jpg

“Nunca me senti particularmente confortável nessas condições, mas ainda consegui uma boa qualificação. A verdade é que me sinto muito bem na moto, mesmo que tenha cometido alguns erros.”

“Tenho um bom ritmo, espero lutar pela vitória, teremos que fazer a escolha certa: se começarmos bem, Marquez não vai escapar. Desde o início do ano, ouvi dizer que a Yamaha não é boa em Motegi. Certamente é necessário melhorar a velocidade máxima, mas na curva ela é competitiva.”

Viñales terminou em quarto:“As primeiras voltas serão fundamentais”.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 20191019-133333908-1237.jpg

“Espero uma corrida de grupo nas primeiras voltas. É por isso que acho fundamental permanecer à frente e avançar imediatamente, e também porque os pilotos da Ducati terão um bom ritmo e uma moto rápida na reta podendo fazer uma boa recuperação”.

Andrea Dovizioso (7): “Aqueles com o melhor ritmo estão à frente”

“O objetivo era conquistar a segunda linha, mas não fui eficiente na parte em que a pista estava um pouco molhada. O tempo não está ruim, a posição sim. O sentimento em geral não é ruim, e tudo pode mudar na corrida.”

Como foi a disputa de tempos no Q1 e Q2

No início das tomadas de tempo do Q2, a pista continuou a secar no seu próprio ritmo, ou seja, lentamente. Mas já havia um certo caminho que permitiu aos pilotos do Q1 usar pneus lisos.  Tinha ainda muita umidade fora do traçado seco, e sair deste caminho envolvia um alto risco de queda.

No Q1 os dois pilotos da LCR definiram o tom. Nakagami, para a alegria local, ficou em primeiro lugar. Crutchlow arrebatou-o, mas o japonês retomou o primeiro lugar por alguns segundos, o que levou o inglês a passá-lo novamente. Rins foi o terceiro nessa luta. O piloto da Suzuki congelou o público japonês com um grande último setor que lhe permitiu acessar o Q2 e deixar o ídolo local fora.

Pol Espargaró começará em 15º. Jorge Lorenzo, que está sofrendo com Zarco em seu quarto de hóspede, continua lutando com a frente da Honda – nem o antigo chassis funcionou. Todos sabem que Lorenzo nunca gostou dessas condições mistas e o espanhol começará em 19º.

No Q2, na primeira rodada lançada, Márquez confirmou o motivo de ser o favorito nas bolsas de apostas. Embora, com o asfalto completamente seco, tenha sido as Yamahas de Quartararo e Viñales que deram o tom nas curvas. Mas Marc voltou a demonstrar o seu domínio das corridas passadas.

A segunda rodada tornou as coisas ainda mais claras. O piloto de Cervera colocou oito décimos de segundos sobre Fabio e mais de um segundo sobre Rins. Miller, outro especialista, fez uma abordagem mais próxima, mas o Cervera o deixou a meio segundo.

Estava na hora de parar. Alguns olharam para a tela e ficaram constrangidos. Rossi terminou em décimo primeiro, ficando a 1,8s segundos de Marquez, e Viñales em nono, distando 1.4s de Marc.

Mas nem tudo estava perdido: Quartararo e Viñales se aproximaram em três décimos. Marc não deu uma boa volta, então ele teve apenas mais uma tentativa. Maverick não melhorou e Marquez sim, mas em apenas 31 milésimos.

Havia ameaças ao Cervera. Crutchlow vinha bem nos primeiros setores, mas falhou no setor final e será o quinto. Quartararo passou de menos para mais e terminou em terceiro, a um décimo do líder. A surpresa foi Morbidelli, que ficou em segundo. A pole ficou para Márquez. Viñales, no final, terminou em quarto; Rossi apenas em décimo e a Suzuki de Rins e Mir em 11 e 12 respectivamente. Aleix da Aprilia ficou em nono.

Abaixo da tabela do grid:

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Screenshot_20191019-062048_PDF-Reader-1024x677.jpg