Marc Márquez: uma carreira enraizada na HRC ou uma mudança para outra fábrica?

426

Cinco corridas e Marc Márquez parece bem a caminho da coroa do MotoGP de 2019. Em uma moto que é rápida, mas mais difícil de pilotar – veja os resultados de Cal Crutchlow para uma comparação – Márquez está encontrando novas maneiras de vencer seus rivais. Ele faz com que a vitória pareça fácil – ele liderou cerca de 70% das voltas disputadas – e sua margem de vitória é convincente. Mesmo depois de ter abrandado para comemorar, venceu por 9,8 segundos na Argentina, 1,6 segundos em Jerez e quase 2 segundos em Le Mans. Ele também ficou fora da liderança em Austin, quando ele estava quase 4 segundos à frente.

Marc está rasgando os livros de recordes também. O seu atual registo de vitórias na categoria rainha situa-se em 47, ao lado de Jorge Lorenzo, que está na sua décima terceira temporada, em comparação com o sétimo ano de Márquez. Ele tem 73 vitórias em todas as classes do Grand Prix, apenas três atrás de Mike Hailwood. Nas vitórias da categoria rainha, ele tem apenas Giacomo Agostini, Valentino Rossi e Mick Doohan à sua frente. No total de vitórias do MotoGP, apenas Rossi, Ago e Angel Nieto têm mais. Aos 26 anos de idade, parece ser apenas uma questão de tempo antes que Marc os ultrapasse.

Será que Márquez precisará encontrar motivação extra? No momento, vencer é motivação suficiente. Ele não demonstrou interesse em estatísticas ou registros, apenas em ganhar e em encontrar novas estratégias, novas abordagens, novas maneiras. Superar seus rivais é tão recompensador quanto vencê-los. “Às vezes você precisa encontrar diferentes estratégias para os seus oponentes”, disse ele em Le Mans. “Se não, todo mundo espera que você faça o mesmo. Se alguém está fazendo algo novo, em algumas corridas empurrando desde o começo, em outra corrida salvando o pneu, você não sabe se ele está salvando ou empurrando”.

Mas uma vez que Márquez provou a si mesmo que pode vencer os seus rivais de qualquer maneira que escolher, ele buscará novos desafios? Ele tem motivos para se manter fiel à Honda. Após a temporada de 2015, ele começou a exercer sua influência sobre a HRC, pedindo mudanças nos programas de desenvolvimento e testes, nas formas de trabalho, até mesmo no pessoal sênior. Por outro lado, os membros da HRC sabem que agora eles precisam de Márquez para ganhar títulos, e não querem perdê-lo. Márquez submeteu a HRC à sua vontade, e esse é um prêmio valioso.

Talvez o dinheiro tente afastar Márquez. A Ducati tentou roubar o espanhol antes da temporada de 2019, mas ele optou por permanecer na equipe da Repsol Honda. A KTM pode pedir à Red Bull praticamente qualquer número que Márquez deva pensar, e provavelmente duplicá-la. Mas Márquez nunca mostrou uma tendência mercenária. Ele é bem pago – desde que Jorge Lorenzo deixou a Ducati, Marc é provavelmente o piloto mais bem pago do grid – mas o dinheiro não pode comprar vitórias e títulos de MotoGP, e essas são as únicas coisas que contam para Márquez.

Ele mudaria para a Ducati para rejeitar as comparações com Valentino Rossi e as críticas de que apenas ganhou com a Honda? Talvez, se o próprio Rossi começar a incitar. Márquez parece imune às críticas dos torcedores, mas se Rossi começar a defender o ponto que correu com duas motos diferentes, isso pode funcionar. Mas mesmo assim, a prioridade de Márquez é simples: ganhar mais corridas, ganhar mais títulos.

Nisso, Márquez é mais como Mick Doohan do que Valentino Rossi ou Jorge Lorenzo. Mais como o ciclista belga Eddy Merckx, cujo amor pela vitória era tão imenso que o apelidaram de canibal. Sua fome de vitórias em corridas era maior do que buscar novos desafios. Marc Márquez poderá migrar para uma fábrica diferente se a Honda não puder mais satisfazer seu apetite pela vitória. Contudo, conhecendo o histórico e o poder financeiro da fábrica japonesa, acho difícil isso acontecer.

Parece que para alguns torcedores “ganhar com uma moto diferente” se tornou quase um artigo de fé religiosa, independentemente do que isso realmente significa, considerando que ganhar título após título parece estar subestimado.

Isso levanta uma questão interessante: “Se as motos estão mais próximas do que nunca, ganhar com motos diferentes nunca foi tão fácil. Então, isso não minimiza o valor da troca de motos? Enfim, penso que Marc Márquez poderá ganhar com qualquer moto que se mostre competitiva.