Outra vitória de Marc Márquez. A culpa é da Honda?

468

Houve fãs que se queixaram da maneira como Márquez vem dominando as corridas quase do começo ao fim. Mas é difícil culpar Márquez, quando a HRC forçou isso no campeão mundial.

Lendo nas entrelinhas as declarações de Marc Márquez à conferência de imprensa, depois de dominar a corrida de MotoGP, liderar a corrida desde o início parece ser o compromisso que a nova moto lhe impõe. No ano passado, eles tiveram que usar um pneu dianteiro mais duro para suportar as excepcionais forças de frenagem necessárias para vencer. Este ano, a Honda precisa de um pneu mais macio para sentir mais a frente, mas isso significa que eles não podem contar com a excepcional frenagem da moto da maneira costumeira.

Márquez precisa de mais aderência na entrada das curvas, então ele tem que usar um pneu mais macio. Perseguir outro piloto superaquece o pneu dianteiro, então ele tem que correr sozinho. E o caminho para correr sozinho e vencer é disparar na frente e deixar o resto “na poeira”.

O que torna Márquez tão excepcional é o fato de ele ter se adaptado quase instantaneamente a essa outra maneira de pilotar. Cal Crutchlow, o único outro piloto com experiência na moto de 2018, está tendo mais problemas para se adaptar, lutando para derrotar seu companheiro de equipe na LCR Honda, T. Nakagami, na maioria das corridas.

Enquanto Crutchlow se queixa frequentemente da falta de sensibilidade na frente da moto, a abordagem de Márquez é descobrir o que a moto é capaz de fazer, então usar isso a seu favor, ao invés de se preocupar com o que a moto não pode mais fazer.

Márquez não é imbatível

Marc Márquez é invencível? “Eu me senti invencível em 2014 e depois em 2015 –boom! Eu caí muitas vezes”, disse Márquez. “Cheguei ao MotoGP em 2013 e ganhei 14 corridas. Ganhei 13 corridas, dez seguidas. Então eu disse em 2015, vou ganhar novamente o título. Você se sente muito bem, mas então você volta ao normal. Somos seres humanos.

Cometemos alguns erros. Precisamos aprender sobre isso. Estamos no MotoGP e todos são tão rápidos. Se você quer ser o melhor, tem que ser preciso em todas as coisas.”

Embora Márquez pareça estar completamente no controle do campeonato de 2019 do MotoGP, ainda existem maneiras de vencê-lo. Como ele não pode mais confiar na força da frenagem da Honda, ele não pode se dar ao luxo de ficar preso em um grupo, por medo do superaquecimento do pneu dianteiro. Se ele pode escapar, ele poderá manter o ar frio no pneu. Mas se um ou mais pilotos conseguirem chegar à frente de Márquez, e forçá-lo a tentar frear com força; colocá-lo no “ar sujo” e não conseguir resfriar o pneu dianteiro, ele terá mais dificuldades. Contudo, com uma Honda tão poderosa como a atual, é difícil chegar na frente de Marc, mas não impossível.

Há mais a vida do que a velocidade máxima?

A Ducati costumava ser a moto mais forte da grid, mas agora os pilotos da fábrica italiana encontraram o seu jogo na Honda RC213V. Que a Ducati ainda é excepcional é fato, tanto que elas terminaram em segundo, terceiro e quarto lugares. Mas foi frustrante para Andrea Dovizioso falar na conferência de imprensa, depois de ter terminado em segundo, e quatro segundos mais lento que Marc Márquez, considerando as duas últimas voltas mais lentas da Repsol Honda.

“Precisamos de velocidade”, disse Dovizioso. “Quando você tem velocidade, você é capaz de gerenciar muitas coisas. Quando você está apenas dois décimos mais lento, tudo se torna um problema. É sempre sobre a velocidade. Cada piloto e moto tem características diferentes, mas para mim o importante é a velocidade, em qual parte da curva não é importante “. Isto significa velocidade máxima? “Com certeza não é a velocidade máxima, é a velocidade do tempo de volta. Qualquer ganho em qualquer lugar será bem-vindo.”

Essa declaração foi a mais severa do que o normalmente melancólico Dovizioso fez à Ducati ao longo do tempo. Se o objetivo da Ducati, na forma como Dovi diz, é derrotar Marc Márquez, então eles precisarão de uma vantagem de desempenho em algum lugar, seja em velocidade máxima, aceleração, frenagem ou velocidade na curva. Neste momento, a Honda está acelerando a Ducati, e a fábrica terá que encontrar uma maneira de resolver isso.

Grandes pilotos podem se adaptar a qualquer tipo de corrida. Se eles precisam se separar, eles se afastam. Se eles precisam seguir outro piloto e esperar, eles esperam. Se eles precisam de um grupo para arrastá-los, eles ficam na frente de um grupo e diminuem a velocidade para controlar a corrida e esperar para atacar.

Mas só os verdadeiros gênios podem gerenciar tudo isso e entender o que é necessário para vencer em qualquer situação específica. Eles não se adaptam a apenas um tipo de corrida. Eles criam na corrida situações específicas para vencê-las. Controlar as corridas pode torná-los quase invencíveis. Eles escrevem as regras e forçam todos a jogar junto com eles, deixando-os sempre com um pé atrás…