MotoGP 2019: Vozes da Tail√Ęndia.

180

‚Äú¬†√Č claro que teria sido cem vezes melhor se eu n√£o tivesse ca√≠do em Assen, porque depois de tr√™s meses voc√™ esquece tudo o que aprendeu e precisa come√ßar do zero em todas as √°reas: na condi√ß√£o f√≠sica, e como andar de moto novamente ‚ÄĚ (Jorge Lorenzo)

Falar de MotoGP nunca é aborrecido. abaixo comentamos a localização espetacular da conferência de imprensa com a mídia local e os comentários  de Jorge Lorenzo; o difícil julgamento de Zarco, que pode voltar a pilotar uma Yamaha como piloto de testes; e as esperanças de Fabio Quartararo para esta prova.

Antes de o GP de Buriram come√ßar formalmente, v√°rias not√≠cias surgiram da Tail√Ęndia. A primeira fala de tr√™s motos e tr√™s pilotos levados a uma altura de 314 metros na capital Bangkok, conforme Henrique Franco j√° reportou aqui em uma mat√©ria espec√≠fica. Para a confer√™ncia de imprensa com a m√≠dia local, na ter√ßa-feira, o local escolhido foi o 76¬ļ andar do King Power MahaNakhon, o arranha-c√©u inaugurado em 2016 (e j√° aumentou tr√™s metros dois anos depois …).

Os tr√™s pilotos escolhidos foram Jorge Lorenzo, Cal Crutchlow e o piloto local Somkiat Chantra, 20 anos da equipe Honda Asia na Moto2. Eles posaram para fotos e caminharam no SkyWalk, o piso de vidro a trezentos metros do ch√£o. Depois do jantar, eles partiram para Buriram, a cidade que fica a cerca de quatrocentos quil√īmetros da capital e √© chamada de “capital da alegria”.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é mmm.jpg

Logo come√ßaram surgir coment√°rios que Lorenzo e Cal Crutchlow foram pedir aos c√©us que revelem o segredo de como Marc M√°rquez consegue pilotar uma moto t√£o dif√≠cil…

Em entrevista ao MotoGP, o pentacampe√£o do mundo fez um balan√ßo de tudo o que aconteceu¬†desde que ele entrou na Honda nos testes de Val√™ncia em novembro de 2018, quando ele j√° se deparou com duas motos completamente diferentes: ‚Äú¬†Quando tentei pela primeira vez a moto velha, a de 2018, me senti muito bem; mas assim que tentei a de 2019, encontrei um motor muito potente, e percebi que algo n√£o estava indo muito bem nas curvas¬†‚Ä̬†,¬†lembra Lorenzo.

Estou decepcionado,¬†admite Lorenzo.¬†‚ÄúEu¬†esperava muito mais, a equipe esperava muito mais e a temporada at√© agora tem sido o oposto.¬†Quando comecei a mostrar alguma competitividade com a moto em Assen, aconteceu o acidente e tudo come√ßou a ficar muito pior¬†‚ÄĚ, lembra ele.

Ele tamb√©m admite que¬†estar fora do grid lhe dava d√ļvidas¬†“, o¬†que √© normal quando voc√™ tem quatro les√Ķes graves seguidas¬†“;¬†mas tamb√©m deixa muito claro que elas se dissiparam completamente e que, quando isso aconteceu, ele n√£o hesitou em pegar o telefone para avisar Alberto Puig¬†, diretor da Repsol Honda Team: ‚Äú¬†Meu compromisso com a Honda come√ßou a ficar muito forte novamente em minha mente. Por isso, decidi ligar para Alberto, ligar para a Honda e dizer que meu compromisso com eles est√° forte novamente ‚ÄĚ, disse ele.

Houve uma √©poca em que havia certa tens√£o entre Jorge Lorenzo e Alberto Puig , com algumas declara√ß√Ķes cruzadas que sugeriam que o relacionamento estava longe de ser adequado para levar a situa√ß√£o adiante. No entanto, o piloto espanhol n√£o apenas evitou fugir dos coment√°rios sobre as censuras de seu chefe, mas tamb√©m elogiou a sua maneira de gerenciar um momento realmente complicado de sua vida.

‚ÄúAlberto sabe sobre moto, sobre pilotar, sobre pilotos. Fiquei surpreso porque, em uma situa√ß√£o muito dif√≠cil, queria que eu melhorasse meus resultados;¬†mas ele foi muito respeitoso e se colocou na minha pele, o que √© muito importante para mim e eu aprecio muito, porque ele sabe o que √© estar em um momento de press√£o¬†‚Ä̬†,¬†diz Lorenzo, visivelmente agradecido pelo¬†entendimento demonstrado por seu compatriota em que foi sem d√ļvida o seu pior momento como piloto¬†.

No entanto, Lorenzo deixa bem claro que a les√£o foi uma adi√ß√£o ao¬†principal problema subjacente, que n√£o √© outro sen√£o a adapta√ß√£o √† vers√£o 2019 da RC213V¬†: ‚Äú¬†Antes da queda de Assen, provavelmente 90 ou 95% , eu j√° estava sofrendo. E com falta de confian√ßa no front end e problemas f√≠sicos, √© realmente dif√≠cil estar no n√≠vel que o MotoGP tem hoje¬†‚ÄĚ, confessa o tricampe√£o de MotoGP, que, embora¬†n√£o planeje desistir, est√° ciente de sua situa√ß√£o atual e o que pode ser feito a curto prazo.

‚Äú¬†Sou uma pessoa competitiva, gosto de competir, continuar tentando.¬†N√£o espero lutar por vit√≥rias, nem espero lutar por p√≥dios.¬†Mas se eu puder melhorar a d√©cima primeira posi√ß√£o que alcancei em Le Mans e, especialmente, melhorar a dist√Ęncia do vencedor que j√° tive at√© agora, ficarei satisfeito¬†‚ÄĚ, diz ele, terminando com uma¬†reflex√£o dif√≠cil¬†:‚Äú¬†Precisamos ser realistas, e os momentos e anos de vit√≥rias e t√≠tulos vencedores, n√£o s√£o poss√≠veis no momento ‚ÄĚ, sentencia…

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é i-zzhbn7k-L-1.jpg

A segunda not√≠cia diz que Zarco n√£o est√° alegre. O site Motorsport.com publicou outra entrevista com Pit Bierer, que o despediu na √Āustria sem a possibilidade de recurso. Falando do piloto franc√™s, o diretor esportivo da KTM foi muito direto: “Nunca vi uma atitude t√£o negativa”, tudo come√ßou com a despedida por Johann de seu gerente Fellon, culpado de esconder dele, na √©poca, uma oferta da Honda, mas ele ‚Äď seu mentor ‚Äď era “o √ļnico que sabia dirigir Zarco no plano mental. Correr por outra casa foi algo novo para ele, e acho que ele aprendeu muito com a gente”.

Mas o ponto mais interessante √© outro: para onde Johann Zarco transferir√° suas habilidades antigas e ‚Äúas novas adquiridas‚ÄĚ? Ele imediatamente se declarou pronto para retornar o mais r√°pido poss√≠vel ao mundo do MotoGP, mesmo como piloto de testes, e as vozes o aproximam ainda mais da Yamaha.

H√° alguns dias Lin Jarvis confirmou o interesse m√ļtuo e tamb√©m a disposi√ß√£o da Yamaha em conceder alguns wild-cards ao franc√™s desempregado. Com isso Zarco poder√° mostrar que ainda √© um piloto competitivo com a moto certa para ele. Parece, entre outras coisas, que Jonas Folger, o atual desenvolvedor da M1, pediu para ser substitu√≠do porque deseja retomar as corridas de Moto2, mas existe uma possibilidade de Folger acabar no WSBK, o que seria muito bom para o campeonato que j√° conta com J. Rea, Alvaro Bautista e Scott Redding.

Zarco certamente n√£o substituir√° Jorge Lorenzo no pr√≥ximo ano, e a sua ida para a Honda mais parece uma hip√≥tese de fic√ß√£o cient√≠fica, mas quem sabe ele ganhe uma oportunidade como piloto de testes das RCVs, no lugar de Stefan Bradl. Vamos aguardar…

A terceira not√≠cia se refere a FabioQ20. O piloto franc√™s acredita que pelas caracter√≠sticas do circuito e a pouca experiencia dos outros pilotos ‚Äď √© apenas a segunda corrida do MotoGP –, ir√£o permitir que ele utilize as vantagens da sua R1 nas curvas de baixa e m√©dia velocidade da pista. Contudo, reconhece que nas retas longas as Hondas e as Ducatis ir√£o revidar seu ataque.

“Acho que ser√° um pouco melhor para n√≥s do que Aragon, porque h√° muitas curvas lentas e longas que se adequam √† nossa moto”, disse Quartararo. ‚ÄúOs pilotos mais experientes t√™m menos vantagens l√°, pois √© apenas a segunda vez que correm neste lugar, ent√£o trabalharemos duro para nos adaptarmos rapidamente e fazer o nosso melhor.”

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é mmmm-5-1-1024x1024.jpg