MotoGP – Suzuki GSX-RR e suas evoluções técnicas para 2020.

353
suzuki gsx-rr

A Suzuki teve uma temporada ótima em 2019 com Rins e Mir, é inegável que a GSX-RR vem ficando cada vez mais fortalecida a cada temporada, combinando velocidade e manuseio. É assim que moto vem se tornando vencedora.

Durante os testes de pré-temporada em Sepang e Qatar, os dois pilotos foram impressionantes, a equipe trabalhou duro ao trazer melhorias que agradou aos pilotos.

Além de um novo chassi a Suzuki também trouxe uma nova especificação de motor. Esse novo motor aparenta ser mais potente e fácil de manusear do que a versão de 2019, segundo relatos dos pilotos. Em Sepang, os dois pilotos tiveram um bom ritmo nas simulações de corrida, e depois, no Qatar também, tanto em sprints quanto em simulações de corrida.

Suzuki GSX-RR 2018

A imagem da moto acima não é a versão 2020, na realidade é a versão 2018 e servirá como base para vermos o quanto o protótipo evoluiu.

Suzuki GSX-RR 2019

Na versão 2019 já percebemos de cara que a ponteira de escape dupla é uma das mudanças. Destaque também para o pacote aerodinâmico, que se tornou uma peça única e mais compacta. Nessa parte aero da Suzuki eles foram mais recatados, a moto em si sempre manteve seu perfil original, mudando apenas as aletas, bem diferente da Ducati. Vale ressaltar que a Yamaha passou a usar esse escape de ponteira dupla semelhante ao da Suzuki pouco depois de apresentado, a fabricante Akrapovic é fornecedora de ambas.

Já que tocamos no assunto da parte aero da moto, vamos continuar:

A moto do Mir foi a que iniciou a temporada de 2019 até as férias de verão, já a do Rins é a atualização pós-férias. A Suzuki trouxe essa atualização como uma forma mais agressiva, vale ressaltar que lembra um pouco a moto da Honda. Detalhe para a mudança na entrada de ar, ficando com uma forma mais retangular.

Seguindo a tendência lançada pela Ducati, a Suzuki testou três versões da “colher aerodinâmica”. A Versão inicial não foi bem aceita pelos pilotos porque era muito grande e aparentemente gerava muito arrasto, onde a principio era para ajudar no controle de temperatura do pneu. A segunda versão, ilustrada aqui, foi mais eficaz, muito menor que a anterior foi mais aceita pelos pilotos e a vimos com frenquência nas corridas. A terceira e atual versão é mais estreita, capturando menos ar e, em teoria, gerando menos arrasto.

Suzuki GSX-RR 2020

Na imagem acima há duas características bem notáveis. A primeira é o revestimento em carbono da viga central do chassi, uma característica bem comum durante a temporada de 2019 e que possivelmente será também muito usada em 2020. A segunda característica fica nos dois visores do nível de óleo, isso é o que distingue o motor 2019 do 2020. O motor 2019 tinha apenas um visor.

GSX-RR 2020 e 2019, respectivamente.

Além do motor novo, a outra grande arma da Suzuki para 2020 é motor. Na foto acima temos a versão 2019 com seu chassi revestido em carbono. À esquerda temos a versão 2020, olhando com atenção é possível notar a diferença no ponto de fixação da balança traseira. É possível notar que o material é mais espesso que o da 2019, modificação possivelmente para alterar características de rigidez da estrutura.

Sabemos que a Suzuki é provavelmente a moto mais homogênea do do gride, mas no passado houve muita preocupação com relação à estabilidade durante as frenagens, em 2019 houve avanços avanços nesse quesito mas tudo indica que a versão 2020 é um grande passo.

A Suzuki vem dando grandes passos, mostra que não é preciso soluções mirabolantes para vencer, mostra que é apenas necessário um equipamento bem acertado. Que venha Jerez, onde veremos a versão definitiva da GSX-RR.

Perfil do editor no instagram.

Leia também: KTM atecipa seu adeus para Pol Espargaró.