Opinião – Garfo Oscilante e a Diferenças entre as 4 Forças da Motogp

1013

Como um entusiasta que acompanha o mundial de Motogp ainda nas 500cc 2 tempos mas principalmente após a mudança para os 4 tempos, sempre aficionado por mecânica lendo artigos técnicos entrevistas com opiniões dos pilotos, engenheiros e mecânicos envolvidos no mundial cheguei a seguinte conclusão: um fabricante tem dois caminhos a escolher:

Ou segue o caminho de uma moto de grande estabilidade e poder em frenagem e aceleração que é o caso de Honda e Ducati nesse caso o chassi tem que ter alta rigidez para aguentar com estabilidade a força G na entrada e saída de curva, ou cria um chassi flexível que faça a moto ser veloz no meio da curva como é o caso de Yamaha e Suzuki.

Gigi D’alligna deu a seguinte declaração sobre a agilidade da Ducati em curva, “não tem como melhorar o chassi em curvas sem perder poder de aceleração e frenagem e vice versa.”

Até então essa era a opção para a engenharia dos fabricantes, a moto seria veloz em curva fazendo o percurso como uma letra “U”, ou seria forte na entrada e saída de curva fazendo a curva como uma letra “V”, Yamaha a rainha das curvas rápidas e Suzuki seguiu o mesmo caminho no desenvolvimento da moto.

Já Honda e Ducati precisam sair da situação de curva o mais rápido possível Cal Crutchlow em uma entrevista a Cycleword explicou o funcionamento dos 3 fabricantes, segundo ele tanto Honda como Ducati sofrem do mesmo mal o da subviragem em curvas, a vantagem da Honda é que por ser mais curta ela é mais leve na mudança de direção então sairia do estado indesejado (curvas) mais cedo que a Ducati.

Em 2017 a Ohlins em trabalho conjunto com a Ducati criou um mecanismo para que a responsabilidade da maleabilidade lateral exigida em curva saia do chassi e seja assumida pelo garfo oscilante de carbono e essa flexibilidade seria ajustável, ou seja com isso não seria mais necessário tirar a rigidez do chassi para entrada e saída de curvas, e conseguiria a flexibilidade necessária para o meio da curva, a Ducati estreou essa solução ainda no Catar em 2017, vimos a elevação da performance da fabrica no ano passado lutando pelo titulo até a ultima corrida.

Em 2018 Honda passa a utilizar a solução também em seus protótipos e a Yamaha nas ultimas corridas também utiliza a peça, segundo Valentino Rossi a moto fica muito mais ágil utilizando o garfo que pesa 400 gramas a menos que o anterior.

Mesmo a solução do garfo não consegue substituir completamente um chassi eficiente em curva como o chassi da M1, mas a tecnologia é recente é pode ainda evoluir, mas o que vemos é que Yamaha e Suzuki estão perdendo sua grande vantagem em curvas e não estão correndo atras do prejuízo em entradas e saídas de curvas, e como vimos em Mugello nas criticas de Iannone também sofrem por falta de potencia no motor.

Alguém concorda ou discorda da minha humilde opinião ? deixem suas opiniões nos comentários.

Marco Antonio Ribeiro

Fontes

https://www.cycleworld.com/cal-crutchlow-explains-how-michelin-has-changed-motogp

Ducati’s Secret Weapon: Carbon Fiber Öhlins Fork Tubes

 

 

 

Empresario, pai e entusiasta do mundo das duas rodas, criou o blog Maniamoto em 2015 com a intenção te ter um espaço democrático e livre onde todos possam expor suas opiniões e trocar ideias sobre o assunto Motovelocidade.