Viñales detém performance de Marc Márquez no FP2.

545

 

As coisas esquentaram literalmente durante a segunda sessão de treinos do dia, devido ao clima instável que ameaça as tomadas de tempo no sábado. Com os tempos do FP1 eliminados logo nos primeiros minutos da sessão, Marc Marquez mergulhou nos 2:04s antes de retornar ao pitlane mais uma vez. Entre encontrar a configuração perfeita para a difícil pista texana ou manter-se seguro entre os dez primeiros, os pilotos  tiveram que trabalhar bastante no FP2.  A novidade do dia foi o novo dispositivo (foto acima) de resfriamento do pneu traseiro usado por Márquez na sua segunda saída. Se, por um lado, o defletor não foi muito útil muito na tomada de tempos, ele conseguiu, por um período, captar a atenção dos holofotes. Notadamente esse spoiler traseiro não tem a palheta tripla como o da Ducati.

Outra estrela involuntária do FP2 foram os solavancos na curva 2, fornecendo “flashes” dolorosos em câmera lenta da suspensão das motos sendo torturada. Rapidamente, no entanto, a atenção de todos voltaram-se para as tabelas de tempos, quando o ataque final começou com sete minutos faltando no relógio. Enquanto Marc se ocupava com Jack Miller, Maverick Vinales foi para o topo do marcador com um tempo bastante próximo da pole position do ano passado. Marquez estabeleceu-se em segundo, meio décimo e o único outro piloto a estar na casa dos 2:03s.

Importante ressaltar que Márquez treinou em ritmo de corrida, usando composto duro na dianteira, enquanto que Vinãles utilizou pneus macios. Com isso Marc Márquez deu um sério recado para a maioria de seus rivais. Em comparação com os últimos anos, a moto está constante em quase todas as pistas testadas. Mesmo perdendo algo de seu ponto forte, a moto cresceu em performance nos seus pontos fracos.

Valentino Rossi fez na tarde algo ainda melhor para a Yamaha ao subir para a terceira posição, um décimo de seu companheiro de equipe e apenas dois milésimos à frente de Miller. Cal Crutchlow completou os cinco primeiros lugares, enquanto Alex Rins juntou-se ao clube dos dez primeiros como o último homem a meio segundo do líder.

Rins deixou Andrea Dovizioso fora do top ten provisório, no caldeirão do Q1. Depois de seguir o Forli pelo traçado da pista, Pol Espargaró se juntou aos sete primeiros, dando um brilho extra para o grupo de jovens pilotos que conquistaram o top10 como Franco Morbidelli, Fabio Quartararo e Pecco Bagnaia.

Se a chuva chegar ao FP3 como está previsto, Dovizioso terá que lutar na pista molhada com Joan Mir, Danilo Petrucci, Aleix Espargaró e Jorge Lorenzo por um lugar no Q2.

Abaixo a tabela de tempos: