Viñales: Não é normal ficar um ano sem vencer.

470

Terceiro colocado no TL1 e quarto no TL2 Maverick Viñales iniciou o final de semana em Le Mans com um bom sentimento e grande desejo de redenção por uma vitória que já faz falta há um ano, ele que no início de 2017 tinha sido preterido por muitos como o grande candidato para bater Marc Marquez.

 

São muitos meses sem vencer e isso não é normal, disse Viñales, que tentou não expor seu otimismo com a M1 que está bem adaptada às características do circuito francês. “Hoje eu não tenho mais a mesma confiança que tinha na temporada passada, mas na sessão da manhã eu consegui igualar algumas coisas que eu havia obtido em ritmo na corrida do ano passado. Digamos que a moto antiga me dava mais estabilidade”.

O que irrita o jovem Viñales é a impossibilidade de realmente entender quais os problemas atingem a moto em determinadas condições climáticas. “Esta manhã tentamos fazer muitas voltas para que pudéssemos obter o ritmo certo, no final, foi melhor do que o esperado e o feedback foi bom. Posteriormente, porém, testamos várias inovações que não funcionaram e perdemos tempo parados nos boxes”.

Além disso, segundo Viñales, os sinais de recuperação surgiram mais pelas condições da pista(temperatura) do que pela moto em si.

“A segunda sessão de treinos livres não foi ruim, assim como nas voltas cronometradas. Eu simplesmente não conseguia escolher bem os pneus. Como disse, nesta faixa minha M1 está bem, então ele responde corretamente. Ainda há alguns detalhes relacionados com a eletrônica do sistema, mas por outro lado estou feliz. O importante é não perder o meu caminho e evitar cometer erros. Amanhã será fundamental definir a configuração ideal para a corrida”, concluiu.