Zarco acredita que pode ser campeão com a Ducati.

380

O ano de 2020 marca o fim de muitos contratos, marca também a assinatura de novos e até mesmo renovações. Estar ausente do paddock em um ano tão importante como o de 2020 seria como assinar a própria sentença de morte, sim, estamos falando de Johann Zarco. Ao Gazzetta dello Sport, Zarco relembra o período conflituoso com a  KTM onde viu seu futuro em risco: “Eu precisava de uma decisão firme. Com essa idade que tenho as pessoas costumam não dar crédito, não dão muitas chances. Talvez eu pudesse ter insistido, mas diminuí a velocidade, tinha medo de estragar tudo”.

Zarco continua: “Posso não ter conseguido lidar bem com o desafio, mas sei que em 2017 e 2018 tive um ótimo desempenho e que em 2020 terei a oportunidade de tentar novamente. Fui da luta pelo pódio para brigar pelas últimas posições, eu estava chateado, senti como se estivesse perdendo meu sonho”.

“Foi uma grande experiência na busca do que continua sendo meu sonho que é ser campeão mundial. Em 2019 esse sonho ficou muito distante, mas em 2020 estarei mais próximo com essa oportunidade na Ducati. Sou um piloto rápido e estou convencido de que posso ganhar na MotoGP”, diz Johann Zarco.

O francês aprendeu, mas ele admite que as lições ainda devem ser revistas de tempos em tempos. Assim, em seus comentários feitos à equipe Avintia, que em um primeiro momento foram duras sobre a sua ida, aparentemente foram revistas: “Talvez eu tenha falado sem pensar, mas essa situação com a Avintia até aquele momento não aparentava ser boa. Depois conversando com Ciabatti e Gigi Dall’Igna, consegui perceber que as coisas podiam mudar. Eles confiaram e conseguiram me convencer. No teste em Sepang vocês verão que a Avintia não será o mesmo time de 2019”.

Em 2020 será necessário brilhar com uma GP19 enquanto os demais pilotos vão estar com a “revolucionária” GP20, mas Zarco tem sua fé: “Seu eu for rápido, o apoio aumentará. A Ducati faz isso, também vimos o que aconteceu com Iannone na Pramac quando foi melhor que o Crutchlow que era piloto na equipe oficial. Eu sei que terei o melhor equipamento e as pessoas certas no meu box, o resto só cabe a eu”.

O principal objetivo será permanecer no top10, não há outra maneira de imaginar o futuro de Zarco: “Será difícil mas se eu quiser lutar pelo título nos próximos 2 ou 3 anos tenho que dar meu máximo. Quero conquistar a vaga na Ducati oficial em 2021”, os objetivos estão traçados e muito claros, que surjam os resultados.